Luto na profissão

Atualizado: Jul 25

O acidente com o avião da Chapecoense abalou todos nós, os que amam futebol e até os que acham o esporte uma bobeira. Quem poderia imaginar que o jogo contra o campeão Palmeiras seria o último deles? Quem poderia imaginar que a bola que o Danilo defendeu os levaria a entrar naquele avião.


Sentir a perda dos jogadores e da comissão técnica foi e sempre será inevitável. Mas quero falar da dor que me fez perder cinco noites de sono. A dor de perder amigos jornalistas, de ver partir aqueles que você acompanhou profissionalmente, e que indiretamente te fizeram optar pela profissão


Sabe querido leitor, sou jornalista em função do esporte, principalmente o futebol. E trabalhar com o que a gente gosta é impagável, é um privilégio que poucos tem. A notícia de que dentro daquele avião estavam 21 colegas de imprensa, me devastou! Eu não sabia quem estava lá, quais eram suas emissoras e muito menos seus cargos.


Mas, fui parar dentro daquele avião. Me senti ali dentro. Tudo o que sonho pra minha carreira profissional é o que eles estavam fazendo ali. Viajando com os jogadores pra cobrir uma final de campeonato histórica. A verdade é que todo jornalistas sonha em cobrir grandes eventos e acontecimentos. Só que não sabemos os caminhos da vida.


Em uma matéria do Zero Hora eu li:

"Um microfone com a canopla da Fox. Uma Bíblia. Entre poltronas reviradas e ferros retorcidos, os objetos encravados na lama..." Imagine só querido leitor, seu sonho ser o de segurar um microfone de uma grande emissora esportiva, e de repente você se depara com um, em meio aos destroços de uma tragédia, ao lado dos corpos de teus colegas de profissão.


Não conhecia nenhum deles pessoalmente, alguns nem sabia que existiam, e não tive a HONRA de compartilhar minhas singelas opiniões futebolísticas, muito menos aprender com eles, é como se eu perdesse parte de mim, junto com os 20 que nos deixaram.


O jornalismo perdeu grandes profissionais, o esporte perdeu grandes admiradores e o futebol perdeu alguns de seus apaixonados. Não sou de Chapecó, não sou do Sul, meu time não era Chapecoense e não simpatizo nem um pouco com as cores verde e branco. Sou de Guarulhos, sou Paulista, meu time é o Corinthians, e sou preto e branco. Mas sou futebol, sou brasileira, sou humana.


SOU JORNALISTA.

Nossa profissão está de Luto!


Vocês serão eternos para o nosso Jornalismo:

Victorino Chermont (Fox Sports), Rodrigo Gonçalves, Devair Paschoalon, Lilacio Júnior, Paulo Clement, Mario Sergio P Paiva (Fox Sports e ex-jogador), Guilherme Marques, Ari Júnior, Guilherme Laars, Giovane Klein, Bruno Silva, Djalma Neto, Adré Podiacki, Laion Espindula, Renan Agnolin, Fernando Schardong, Edson Ebeliny, Gelson Galiotto, Douglas Dorneles, Jacir Biavatti.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle