Fernando Prass: lesão, homenagens e uma lição

Atualizado: Jan 16

Aos 38 anos, Fernando Büttenbender Prass, vive a expectativa de voltar a disputar uma partida inteira após quase cinco meses fora. Ausente devido a uma lesão no cotovelo, que o levou a ser cortado dos Jogos Olímpicos, da própria Seleção Brasileira pelas Eliminatórias da Copa de 2018 e do segundo turno do Campeonato Brasileiro.

Vivendo, talvez, o melhor momento de sua carreira, devido a primeira convocação para a Seleção, e um ótimo desempenho no Palmeiras, infelizmente teve uma interrupção. Durante o período de treinamento junto com a seleção olímpica, antes do início dos Jogos, Prass acabou lesionando-se e foi cortado. Triste notícia. Uma fratura no cotovelo direito só o permitiria campo voltar aos gramados em 2017.

Entretanto, o goleiro traçou uma meta para 2016: entrar em campo novamente. E ele conseguiu! Na 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, partida que declarou o Palmeiras campeão. Aos 45min do segundo tempo, a última substituição do jogo: sai Jaílson e entra Fernando Prass.

Após a partida e na comemoração do título, o arqueiro desabafa: “Eu perdi o título olímpico, a chance de defender a Seleção Brasileira e mais de um turno do campeonato. Eu só pedi para Deus me ajudar para que pudesse estar no jogo do título, graças a Deus consegui cumprir minha meta... Para mim é como se fosse um troféu. Quem é lá do clube sabe o que eu passei, o que batalhei para voltar nesse ano, nem que fosse para jogar um minuto. Agora é esquecer algumas coisas que aconteceram nesse ano, está superado.”

Homenagens:

* Apesar de não estar presente na conquista do Ouro Olímpico, o goleiro foi devidamente homenageado. Quando a Seleção entrou em campo para receber a premiação, três jogadores - Gabriel Jesus, Gabigol, do Santos e Rodrigo Caio, do São Paulo - entraram com a camisa de número 1, com o nome “F.Prass”. Além dessa homenagem, alguns meses depois, Prass recebeu sua medalha olímpica.

* Após ser cortado da Seleção, jogadores do Palmeiras entraram em campo carregando uma faixa, e permaneceram durante toda a execução do hino nacional, com o seguinte dizer: “Força Fernando Prass! Estamos com você!”

*Quando estava no banco de reservas para a partida do título palmeirense, foi o último jogador a ser anunciado, juntamente com um “ele está de volta”. Ao retornar para seu lugar de origem, no dia 27/11, o goleiro entrou em campo, ao som do Allianz Parque lotado que gritava: “Pqp, é o melhor goleiro do Brasil, Fernando Prass”.

2017:

Embora 2016 não tenha sido um ano como o esperado, Prass foi muito bem representado e honrado. Weverton, goleiro do Atlético Paranaense, o representou na conquista do ouro inédito, e Jaílson, o terceiro goleiro alviverde também, não perdendo nenhum jogo e sendo campeão brasileiro após 22 anos.

Além de representá-lo no gol, Jaílson afirmou: “Sou um cara sincero. Seria injusto chegar aqui e falar que quero jogar 2017. O Prass não saiu por falha, mas por contusão. O lugar dele vai estar separado. Se o treinador optar por mim no banco, vou estar feliz do mesmo jeito”

Independente de quem será o arqueiro palmeirense titular, o gol estará seguro e em boas mãos. Se for o Fernando Prass, desejo a ele, uma excelente volta. E 2016, um ano que poderia ter sido um dos melhores da carreira para o goleiro, infelizmente foi apenas um ano com lesão, homenagens, mas com uma lição: se há força de vontade, nada é impossível.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle