13ª edição do Jogo das Estrelas foi marcado por clima de luto e homenagens

Atualizado: Jul 25

Luzes verdes iluminavam a noite da última quarta-feira do ano no mais importante palco do futebol brasileiro. Um evento tradicionalmente marcado por um clima de festa, dessa vez provocou um turbilhão de sentimentos em quem estava presente. A 13ª edição do Jogo das Estrelas, partida de caráter beneficente promovida anualmente por Zico no Maracanã, uniu a alegria do futebol com a saudade dos heróis que partiram recentemente.

Recepcionado por gritos acalorados de um público de mais de 58 mil pessoas, o anfitrião Zico entrou no gramado ao lado de Mateus, o filho do ex-presidente da Chapecoense Sandro Pallaoro, além de jogadores e representantes de times cariocas. O estádio se calou para assistir aos vídeos exibidos no telão, que mostraram a campanha da Chapecoense durante a temporada. Aos gritos de "Vamos Chape!", 71 balões verdes e brancos foram soltos em homenagem às vítimas do trágico acidente aéreo com o avião que levava o time catarinense, no último mês, para a disputa da primeira partida da final da Copa Sul-americana. Na noite de homenagens, também foram lembrados o eterno "capita" Carlos Alberto Torres e o jornalista Raul Quadros, que partiram recentemente.

Apesar do clima de emoção, a alegria do futebol tomou conta do local nas duas partidas da noite. A primeira, o Jogo dos Artistas, contou com inúmeros nomes conhecidos nacionalmente, como os atores Bruno Gissoni, Caio Castro, Thiago Martins e Felipe Simas, os cantores Wesley Safadão e Alexandre Pires e o surfista Gabriel Medina.

Já o Jogo das Estrelas, momento mais esperado pela torcida, uniu a experiência dos jogadores da antiga à energia dos mais novos. Estavam presentes nomes como Júnior, Renato Gaúcho, Falcão, Neymar, Marinho, Rafinha e Renato Augusto. O time Estrelas Vermelhas, liderado pelo anfitrião da noite, levou a melhor na partida e terminou com a vitória de 8 a 4 contra o time Estrelas Brancas.

Presente rubro-negro

Para a torcida do Flamengo, maioria no local, a noite teve um gostinho especial. Durante o intervalo da partida, o time de 1981 entrou no gramado carregando a taça do Mundial de Clubes, título mais importante da história do clube, em comemoração aos 35 anos da conquista. O público, que foi à loucura com a surpresa, respondeu ao momento cantando o hino oficial do time.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle