3ª edição Lance de Craque: convidado especial e homenagens

Atualizado: há 6 dias

Os jogos beneficentes de final de ano, além de nos trazer oportunidades únicas de ver dois jogadores de times rivais, ou até mesmo, dois jogadores que jogam em países diferentes no mesmo time, são muito mais do que uma partida!

Acaba o Campeonato Brasileiro, e assim começa os aguardados jogos. Alguns são mais conhecidos, possuem uma tradição de anos, outros nem tanto, são voltados para a cidade natal do jogador, por exemplo.

No dia 21 de dezembro, houve a terceira edição do Lance de Craque. O responsável por isso foi o meia argentino Andrés Nicolás D’Alessandro. A partida aconteceu no Beira-Rio.

Apesar de um pequeno público presente, pouco mais de 15 mil, os torcedores puderam fazer uma grande festa e comemorar muitos gols – a partida terminou Solidariedade 6 X 5 Esperança. Também tiveram mais um motivo para celebrar pois um convidado especial estava presente: Alan Ruschel, um dos seis sobreviventes do acidente com o time da Chapecoense.

Convidado pelo D’Alessandro, o lateral passou pela zona mista e desabafou: “Nada vai apagar o que aconteceu, mas estou feliz por estar aqui, feliz por estar vivo. Representar os que estão olhando por nós com carinho lá de cima é fantástico.”

Minutos antes de começar a partida, D’Ale pegou o microfone e fez uma homenagem digna junto com os torcedores para o time da Chape, com o grito que ecoou as arquibancadas dos estádios pela última partida do Campeonato Brasileiro: “Vamo, Vamo, Chape”. Logo em seguida entrou em campo Alan Ruschel, com a camisa 28 e seu nome escrito nas costas. Junto com o argentino, mostrou a camiseta do zagueiro Neto e do goleiro Jackson Follman, os outros dois jogadores sobreviventes.

Ao sair do gramado, Alan disse: "É a melhor sensação do mundo, poder estar vivo. Deus me deu uma segunda chance de poder viver. Espero poder honrar os que se foram da melhor maneira possível". A partida irá reverter o dinheiro para três instituições e para os familiares das vítimas da Chape.

Quando a partida terminou jogadores se reuniram no meio de campo para agradecer o público presente. Em seguida, as luzes do Beira-Rio foram apagadas. Os torcedores iluminavam o estádio com a lanterna de seu celular, e após uma contagem regressiva, soltaram novamente o grito: “Vamo, Vamo, Chape".

O futebol tem disso, envolver diversas pessoas, que mal se conhecem, para um bem comum. Para trazer um pouco de felicidade e emoção aos apaixonados, e deixar a tristeza, nem que seja por um minuto, de lado.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle