#ElesPorElas

Atualizado: 10 de Mai de 2020

Sou mulher, sou apaixonada por futebol e busco o meu espaço no jornalismo esportivo. Neste Dia Internacional das Mulheres não quero flores, não quero chocolates e muito menos homenagem. Quero poder ir ao estádio sem ser tachada de “mulher que se veste de macho”, quero comentar futebol sem ser rotulada de maria-chuteira. Quero o meu lugar no jornalismo esportivo, quero poder representar todas as mulheres que amam o futebol, sem ter que ouvir que conquistei o meu espaço porque utilizei algum artificio que não fosse o meu esforço. Aposto que você leitora, também quer esses direitos e também luta por um lugar na sociedade.

E neste mundo imenso, existem homens que também lutam pelos nossos direitos, sabia? Não sabia?! Talvez você não saiba mas existe um movimento chamado #ElesPorElas, onde os homens usam a voz para lutar pelos direitos femininos. Isso mesmo, os homens estão apoiando a causa e dando voz a tantas mulheres que lutam pelos seus direitos.

Mas o que é o movimento #ElesPorElas? O movimento solidário foi lançado em 2014 pela ONU Mulheres (Entidade das Nações Unidas), e tem como principal objetivo promover a igualdade de gênero, o emponderamento e lutar contra a violência. É estranho, revoltante e até mesmo um tanto constrangedor saber que em pleno século 21, milhares de mulheres ainda sofrem algum tipo de violência, seja ela verbal, psicológica e física. De acordo com o Mapa da Violência Contra a Mulher a cada cinco minutos uma mulher é agredida no Brasil, e cerca de 13 mulheres são assassinadas por dia – uma a cada duas horas, e para piorar as estatísticas, o Brasil é um dos cinco países do mundo onde a taxa de violência contra a mulher é maior.

Mas afinal de contas, o que o movimento tem a ver com futebol?

Um time de um milhão de homens”, com esse slogan o movimento busca atrair mais homens e meninos, mostrando o verdadeiro papel que eles devem ter para fazer com que a igualdade de gênero se torne verdade e erradique a violência contra mulheres. Durante a Copa do Mundo de 2014, assistimos o apoio de 500 torcedores de 22 países a favor do movimento. No Brasil, os primeiros times a vestirem a camisa do #ElesPorElas foram os jogadores da dupla GRENAL, uma união dos maiores rivais do Sul do país contra a violência.

No Grêmio jogadores como Rhodolfo (ex-zagueiro do time), Marcelo Oliveira, Luan, Marcelo Grohe e Felipe Bastos (ex-jogador do elenco) vestiram a camisa em apoio à causa. Pelo Internacional, D’Alessandro, Alisson (ex-goleiro do time) e Valdívia também representaram o clube durante a sessão de fotos que aconteceu em 2015.

No momento apenas a dupla GRENAL apoia o movimento, mas espero que outros clubes brasileiros também façam parte e lutem junto ao movimento. Por uma sociedade mais justa, pelo fim da violência e pelos direitos das mulheres. Que o movimento #ElesPorElas continue crescendo e que possamos comemorar o fim da violência e comemorar as nossas conquistas.

0 comentário

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle