Ele tá aí

Atualizado: 26 de Jul de 2020

Descontração e alegria – no coração e nas pernas – parece ser lei entre os jogadores mais jovens do Flamengo, especialmente um: Felipe Vizeu. Dono do bordão “Vizeu tá aí”, que surgiu com um amigo MC, o atacante de apenas 20 anos se porta como gente grande no meio de jogadores bem mais experientes que ele, mas está há pouco tempo no futebol profissional. O suficiente, porém, para se destacar e começar a escrever, aos poucos, uma história que tem tudo para ser promissora.

Apesar de ter estado no Mais Querido durante a maior parte de sua carreira, não foi no Ninho do Urubu que o jogador iniciou sua trajetória no futebol. Criado em Minas Gerais de forma humilde, foi lá onde o garoto teve o primeiro contato com o esporte. Teve passagens por pequenos times locais durante a infância, até chegar ao América Mineiro, em 2011, onde se destacou na BH Cup, mas definitivamente foi no maior do Rio em que ele despontou. Após ser desligado do América, Vizeu pisou na Gávea pela primeira vez em 2013 e foi ali que deu início à uma carreira relâmpago no futebol juvenil. O primeiro torneio de renome disputado por ele foi a Copa do Brasil sub-17 daquele mesmo ano, campeonato no qual brilhou ao marcar 4 gols, apesar de ter sido somente vice-campeão. Em 2014, Felipe também ajudou o Flamengo a conquistar o Torneio Octávio Pinto Guimarães, a segunda principal competição de futebol juvenil do estado do Rio.

Em 2015, Vizeu fez a sua estreia no campeonato mais importante das categorias de base no Brasil: a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Na época, ele ficou na reserva e teve uma atuação bem discreta, mas compensou na edição seguinte, em 2016, e com louvor. Acompanhado de um dos elencos juvenis mais valiosos que o Fla já teve, com Thiago, Lucas Paquetá, Léo Duarte, Ronaldo e tantos outros, o garoto levou o rubro-negro à conquista do torneio júnior e ainda saiu da competição como vice-artilheiro, com 7 gols e o prêmio de craque da Copinha. A excelente atuação fez com que Vizeu conseguisse uma valiosa vaga no elenco principal do clube.

Com talento de sobra, ele nem precisou de tanto tempo para adaptação. O agora camisa 47, participou de competições profissionais pelo Flamengo como o Campeonato Carioca e o Brasileirão e chamou atenção pela habilidade apesar da pouca idade. Decisivo, e sempre na hora certa, o atacante terminou 2016 com 8 gols marcados pelo profissional, em 26 partidas, e um contrato renovado até 2020. Em 2017, marcou 2 gols no estadual, título conquistado pelo Flamengo, porém, por ser o 2º reserva do camisa 9 da equipe, Paolo Guerrero, está com menos espaço do que antes no plantel profissional, o que alimenta os rumores de uma possível saída para outro clube e causa irritação entre os torcedores.

Se engana quem pensa que foi só com a camisa rubro-negra que Vizeu fez bonito. O jogador também se destacou com a amarelinha, em especial, pela Seleção sub-20, com a qual foi campeão do Quadrangular de Seleções em 2016 e ainda marcou o gol decisivo. Assediado por times da Europa e alguns brasileiros que reconhecem a capacidade do atacante e considerado o “queridinho” da torcida, o garoto é muito mais que uma promessa: ele já tem feito por onde para ser o cumprimento de uma joia lapidada no Ninho do Urubu. Cabe principalmente ao Flamengo a responsabilidade de cuidar daquele que, sem dúvidas, é o futuro do ataque rubro-negro.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle