Por trás da história: a boa e velha camisa alviverde

Atualizado: Jul 25

Há quem diga que o marco da era Parmalat foi o time composto por Luxemburgo, Evair, Edmundo, César Sampaio.. e tantos outros nomes que levaram o clube para o topo do futebol nacional na época.

Mas a década de 90 alviverde também foi marcada pela estreia do uso das suas camisas listradas. Aquele pai, avô, tio.. pode ter certeza que ele tem ou teve guardada no guarda-roupa. Eu tive a minha passada de gerações. Meu tio comprou para a minha prima, e hoje ela é minha. E futuramente, quem sabe, não vai ser dos meus filhos.

A camisa passou por mudanças com o passar dos anos, mas a primeira versão foi lançada em 1992, listras brancas com um verde claro que não agradou a torcida. Segundo eles, o listrado estava indo contra as tradições do clube. Mas as reclamações não duraram muito tempo, já que, com a camisa, veio também a saída da fila de 17 anos sem ganhar um título. E o melhor, não foi qualquer título, a conquista foi em cima do maior rival, o Corinthians.

Já a segunda versão veio no ano seguinte. Ela tinha as mesmas listras brancas só que, dessa vez, o tom de verde era o escuro (e cá para nós, ficou bem mais bonita assim). Além da mudança na cor, teve a troca de fornecedores. Em 92 era a Adidas, e depois passou a ser a Rhummel. Com essa troca, a camisa passou a ter um tecido com marcas d'água com o símbolo do Palmeiras. Usando o novo manto, o time conquistou o bicampeonato Paulista e o bi do Brasileirão, em 1993 e 1994.

O clube usou essa camisa de 1993 há 1996. Apenas foi tendo modificações no designer. Em 1994, o novo manto ganhou detalhes nas mangas e na gola, e também recebeu um tom metalizado. Nos dois últimos anos de Rhummel, que foi em 95 e 96, a camisa ganhou vários distintivos. O primeiro foi o scudetto da CBF, pelo Palmeiras ser o bicampeão brasileiro da época. Porém, a mudança não durou muito tempo, em março o adereço foi removido. Em 1996, mais uma mudança, que foi utilizada apenas dois jogos após a conquista do Paulistão, e no jogo da final da Copa do Brasil. Foi acrescentado um novo scudetto da Federação Paulista de Futebol, uma estrela e o número 21, simbolizando os títulos paulistas do Verdão. O Palmeiras entrou de férias após a final, e quando voltou a jogar pelo Brasileirão de 96, os fornecedores foram trocados novamente. De Rhummel foi para a Reebok.

Agora em 2017, na era “Crefisa”, o Palmeiras está voltando a apostar nas boas e velhas listras usadas nos anos 90. O desejo de cada torcedor é que, além da volta do listrado, a essência do time da época também volte e que, com isso, os títulos também apareçam.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle