Libertação da Fiel: cinco anos de uma conquista inesquecível

Atualizado: Jul 26


Hoje, 04 de julho de 2017, completa 5 anos de uma conquista inesquecível para nós, corinthianos. Aquele primeiro título da Libertadores da América, depois de 102 anos de história, finalmente estava em nossas mãos. Tanta espera, tantos sofrimentos nas outras edições, tantas derrotas e eliminações, tantas piadas que tínhamos que aguentar dos torcedores rivais... Mas, naquela noite de quarta-feira, tudo mudou, para a nossa emoção e alegria. Passamos do Santos na semifinal, primeira vez que classificamos para uma final, já era motivo de muita euforia. Quando estava conseguindo me recompor, duelo confirmado: Corinthians x Boca Juniors para decidir o campeão de 2012.

Se eu fiquei louca para conseguir ir? Não precisa nem perguntar, né! Conversei com a minha mãe, com o meu avô e com a minha irmã e, sim, decidimos entrar na corrida para comprar os ingressos. As vendas para os associados ao Fiel Torcedor abriam ao meio dia, então tínhamos que ficar na frente do computador, com o site aberto, só esperando o momento exato para dar o clique. Se conseguimos esse momento exato? Não! Pois é, esgotou em um piscar de olhos. Acho que foi um dos momentos mais tristes da minha vida. Como que eu não iria nessa final? Não dava para acreditar nisso.

Mas, graças a Deus, uma alma preciosa lá dentro do Corinthians teve a brilhante ideia de colocar telões no Anhembi para os desesperados, como eu, assistirem à final, já que a procura pelos ingressos foi gigantesca. Se surgiu uma esperança de eu conseguir ir? Óbvio que surgiu!!! Mas, com certeza, essa esperança surgiu para muitas outras pessoas, ou seja, nós não podíamos dar bobeira de novo. No momento da abertura da venda dos ingressos para a final no telão, no Anhembi, nas bilheterias do Parque São Jorge, estava eu, minha irmã e meu avô já na fila. Finalmente, depois de alguns minutos, chegou a nossa vez e conseguimos comprar os quatro que precisávamos. Minha felicidade voltou, a ansiedade aumentou e eu fiquei contando as horas para o dia 04 chegar logo.

Ele finalmente chegou!!! Coração a mil, nervosismo à flor da pele, a vontade de gritar campeão já transbordava ainda no caminho para o Sambódromo de São Paulo. Chegamos lá, fomos até o portão que seria a nossa entrada e: menor de 16 anos não entra. Calma aí, moço! Atrás do ingresso, nas informações, está escrito "menores de 16 anos acompanhados dos pais ou responsáveis" e minha mãe está bem aqui do meu lado. Como eu e minha irmã não podemos entrar??? E ele continuou negando! Depois de muita discussão, o segurança levou meu ingresso para alguém lá dentro e voltou, depois de uns 10 minutos, dizendo que podíamos entrar. Eu só olhei para o céu e pensei: obrigada Deus por ter me aprovado nesse teste cardíaco!

Foi emoção a cada segundo, bem ali colada no telão, ouvindo a bateria da Gaviões da Fiel atrás de mim e toda a multidão presente cantando como se estivéssemos todos no Pacaembu, que aliás estava lotadérrimo! Aquela final teve direito a tapa no Paulinho, soco do Chicão, cotovelada no Leandro Castán e até mordida pelo mito da partida: Emerson Sheik! Precisa de mais alguma coisa para perceber que o jogo estava disputado demais??? Não né? Muita tensão, muita pressão, muita luta e... Sheik balança a rede duas vezes. Que alívio que dava de soltar aquele grito de campeão, soltar as lágrimas de felicidade e orgulho que seguramos por tanto tempo! Campeão invicto, tem coisa melhor? Antes de nós, apenas o Santos em 1963 entre os brasileiros!


"Vai, Corinthians! Vai para as ruas, vai para o abraço do torcedor que te ama, vai para o pódio, vai levantar a taça que você tanto sonhou... Vai atravessar o mundo. Vai para o Japão!" e nunca li algo tão emocionante no site do Globo Esporte quanto essa frase. Foi noite de festa, foi noite de madrugar e chegar em casa passando das 5h da manhã, foi noite de extravasar e mostrar ao mundo quem somos nós! São 5 anos dessa conquista, mas o momento está gravado na mente como se estivesse acontecendo tudo hoje. Aquela festa que os jogadores fizeram conosco de cima daquele trio elétrico posicionado no Anhembi estará para sempre dentro dos corações e da memória de tantas pessoas ali presentes. E eu, com certeza, mostrarei e contarei cada detalhe dessa história e dessa experiência que pude viver aos meus filhos e netos, e não me esquecerei de dizer que o dia 04 de julho de 2012 foi um dos dias mais importantes para a nossa nação corinthiana. A noite da nossa libertação. A noite de Libertadores da América!


Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle