Maloqueira e sofredora

Atualizado: Jul 26

Corinthiano, maloqueiro e sofredor. Essa frase tem dado o que falar nos últimos anos. Os antis riram. Os corinthianos aplaudiram. Por quê? Maloqueiro. Um termo regionalista no qual, dentre os muitos significados, remete a um sujeito sem educação, grosseiro; alguém que anda vagando pelas ruas. Um termo dito por muitos como pejorativo, algo negativo. Mas não para os corinthianos.

A frase virou música, já fez parte de um enredo de samba, faz parte da história do clube, faz parte do coração corinthiano. Ser maloqueira e sofredora é apoiar o Corinthians até o fim. É agir com técnica, raça, com a vida! Ser sofredora é sofrer com as derrotas, com os pênaltis perdidos, com os lances errados, com os títulos não conquistados. É chorar na vitória e na derrota. É sentir o coração querendo saltar pela boca. É não saber controlar os gritos, muito menos os palavrões que saem na hora do jogo.

Ser sofredora é apoiar o time, mesmo sabendo dos vacilos, dos erros sem fim. Porque errar faz parte. Sofrer faz parte. E aguentar as zoações depois de uma derrota também, infelizmente, faz parte. Ser sofredora é ver que suas lágrimas nunca terão um fim e que seu coração é muito mais forte do que você mesma pensa.

E quanto a ser maloqueira? Ser maloqueira é não se importar com a opinião dos outros. Com o que a maioria pensa ou faz. Ser maloqueira é seguir suas próprias regras. E isso não significa ir contra lei, significa não seguir padrões preestabelecidos pela sociedade.

Ser chamada de maloqueira não é algo negativo para as corinthianas. Pois amar o Corinthians vai muito além das críticas e piadas. SOU CORINTHIANA, MALOQUEIRA E SOFREDORA, SIM SENHOR!

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle