Orgulho tricolor: o Fluminense de 1984

Atualizado: Jul 26

Um dos maiores times da história do Fluminense foi o de 1984. Por incrível que pareça, não era considerado um grande concorrente ao título, e nunca foi considerado como um dos favoritos. O tricolor montou um elenco para a disputa do Campeonato Brasileiro de 84, sem imaginar que levantaria a taça.

O Flu iniciou o Brasileirão ganhando jogos de forma discreta, sem surpreender e muito menos arrancar holofotes. No grupo C na primeira fase, estava ao lado de Ferroviário-CE, ABC-RN, Confiança-SE e Santos, e terminou em segundo lugar com 12 pontos. Na segunda fase, desta vez no grupo A, ficou ao lado de Bahia, Goiás e São Paulo. O tricolor terminou a fase na liderança do grupo. A terceira fase, seus adversários foram Portuguesa, Operário-MS e Santo André. O Flu conseguiu 10 pontos, e classificou-se para as quartas de final.

Pelas quartas de final, o Fluminense enfrentou o Coritiba. O primeiro jogo, no Couto Pereira, terminou empatado por 2 a 2. Mas, a segunda partida um épico 5 a 0 com show de Romerito e Renê. Na semifinal, o adversário era o Corinthians, que anteriormente era considerado como um dos favoritos. O primeiro duelo aconteceu no Morumbi, Assis e Tato fizeram os gols da vitória do tricolor carioca. No Maracanã, um empate por 0 a 0, encaminhou o Flu para a final contra o Vasco, um grande clássico carioca.

Em 24 de maio de 1984 aconteceu o primeiro jogo da grande final. O Flu, melhor em campo fez o gol do título ainda no primeiro tempo, com Romerito, um dos melhores do elenco. No dia 27, mais de 128 mil pessoas lotaram o Maracanã para acompanhar a segunda partida da final. No primeiro tempo, o Vasco estava vindo pra cima, mas perdendo gols com Mário e Roberto Dinamite. O tricolor estava na defesa, só esperando o contra-ataque. Na segunda etapa, o Flu veio a campo mais confiante, poderia ter feito diversos gols. Mas, nada aconteceu e o jogo terminou em 0 a 0, e o Fluminense de Parreira campeão.

Fluminense de 1984: Paulo Vítor, Aldo, Duílio, Ricardo Gomes e Renato (Branco), Jandir, Delei (Renê) e Assis, Romerito, Washington (Wilsinho) e Tato.

Aquele time que entrou na competição sem pretensões e muito menos estrelismo, mostrou a força do esquadrão imortal e está na memória e no coração de cada tricolor. O ano de 1984 foi mágico.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle