Historia que tú hiciste, historia por hacer

Atualizado: Jul 26

Definitivamente, 2017 foi o ano do Real Madrid. Conquistou cinco dos seis títulos que disputou, sendo dois da temporada 2016/17 e três de 2017/18. Além disso, conseguiram feitos inéditos frente ao futebol moderno: foram o primeiro clube a conquistar consecutivamente a Champions League e o Mundial de Clubes nos atuais formatos; são o maior vencedor das duas competições acima citadas, com 12 troféus da Liga dos Campeões e seis do Mundialito.

Também conquistaram consecutivamente o título da Supercopa da Europa, levantaram o 33º troféu do Campeonato Espanhol (o primeiro desde a era Mourinho, na temporada 2011/12) e ergueram o décimo caneco da Supercopa da Espanha em cima de um dos maiores rivais, com duas vitórias completamente convincentes. Inclusive, essa é uma palavra que pode definir as duas últimas temporadas da equipe merengue. Em momentos onde tudo parecia estar desandando, a camisa pesava e a força de vontade prevalecia, como que em forma de mágica.


Ainda em meio a todo esse contexto, boa parte dos jogadores da equipe titular ocuparam papel de destaque no cenário europeu e mundial este ano. Como consagração pelo trabalho bem feito por dois anos seguidos, Cristiano Ronaldo foi eleito como o melhor do mundo, recebendo o The Best e a quinta Bola de Ouro da carreira; na seleção do ano da FIFA, além de CR7, contou com Sergio Ramos, Marcelo, Luka Modric e Toni Kroos, além de Zinedine Zidane ter sido escolhido como o melhor técnico.

Todas essas cansativas informações apresentadas acima servem para que seja compreendido um fato, talvez ainda inapercebido por muitos: podemos estar diante de um dos melhores elencos do Real Madrid de todos os tempos. Jogadores lendários, como Puskás, Di Stéfano e Gento, nas décadas de 1950/60, e o time galáctico do final dos anos 1990 para o começo dos anos 2000, serviram para colocar os blancos em um patamar grandioso perante o mundo. Mas é um enorme prazer, enquanto apreciadora do bom futebol, poder acompanhar (nem) tão de perto história sendo feita de uma maneira tão brilhante. O sentimento que fica para este ano é o de que essa magia não se perca, na torcida para que eles alcancem ainda muito mais. Como diz o hino: historia que tu hiciste, historia por hacer. Pelo menos até agora, os jogadores estão seguindo bem direitinho esse lema.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle