A despedida de um caldeirão

Atualizado: Jul 26

Ainda não se completou um ano desde o último ato do Atlético de Madrid em seu velho e amado lar, o Estádio Vicente Calderón. Localizado no bairro de Arganzuela, na capital espanhola, o gigante com capacidade para pouco mais de 50 mil espectadores foi a casa do Atléti por 50 anos, até a decisão do clube de transferir-se para outro estádio, ação concluída em 2017 quando o rojiblanco mudou-se de forma definitiva para a nova casa, o Wanda Metropolitano, inaugurado em setembro do último ano e com capacidade para até 75 mil torcedores.

Antes do Metropolitano e de Don Vicente, o Atléti jogou em seus primeiros 10 anos de vida, entre 1903 e 1913, num campo simples chamado Campo del Retiro, o principal de toda a Espanha. Depois, passou a jogar no Campo de O'Donnel, localizado na rua de mesmo nome do bairro madrileno de Recoletos, com capacidade para até 10 mil pessoas, onde permaneceu até 1923. O passo seguinte de um dos maiores times espanhóis foi grande: O Atlético se transferiu para o Stadiun Metropolitano – sem ligações com sua atual casa –, localizado na Região Noroeste de Madrid e suportando até 25 mil espectadores. Lá, o alvirrubro permaneceu por 43 anos até a inauguração do Vicente Calderón; mas entre 1939 e 1943 realizou seus jogos no Estádio de Vallecas no bairro operário de mesmo nome por causa da Segunda Guerra Mundial.

Em 2 de outubro de 1966, o Atlético de Madrid pisava pela primeira vez no lugar em que chamaria de lar pelos próximos 50 anos, data na qual jogou a partida de estreia contra o Valencia e empatou por 1 a 1. Mas na época, o estádio ainda se chamava Estadio Manzanares, devido rio homônimo que corre próximo ao terreno. Foi só em 1971 que o caldeirão ganhou o novo nome em homenagem ao presidente do clube responsável pela idealização do cantinho do Atleti. Na época, o estádio foi o primeiro da Espanha a ter 100% de assentos para o público.

Foi dentro dos muros do Vicente Calderón que o Atlético viveu grandes momentos. Em 5 de abril de 1970 o clube venceu o italiano campeão da época Cagliari em uma campanha memorável pela Copa dos Campeões da Europa. Três anos depois, em 20 de março, os alvirrubros conquistaram sua primeira Liga Espanhola na casa, vencendo o La Coruña por 3 a 1. Em 25 de outubro de 1996, os rojiblancos venceram o Albacete por 2 a 0, conquistando ali sua nona Liga Espanhola. Recentemente, em 7 de fevereiro de 2015, o Atleti goleou o grande rival, Real Madrid, no Calderón, por 4 a 0, com gols de Tiago, Saúl, Griezmann e Mandzukic. Um ano depois em 27 de abril de 2016, o único gol do time contra o Bayern de Munique marcado por Saúl Ñiguez o colocou em sua terceira final da UEFA Champions League, novamente contra o maior rival local.

O último ato de Don Vicente foi dividido em três partes: na primeira, o dono da casa disputou sua última partida no antigo lar contra o Athletic Bilbao, no dia 21 de maio de 2017, e se saiu vitorioso da disputa, com 3 a 0, sendo dois gols de Fernando Torres e um Ángel Correia. Com a vitória, o Atlético se assegurou na 3ª colocação do Campeonato Espanhol, encerrado naquela ocasião, e classificando-se para a fase de grupos da Liga dos Campeões. A segunda parte do último ato do gigante cinquentenário, em 27 de maio, foi estrelada não pelos anfitriões, mas por Barcelona e Alavés, finalistas da Copa del Rey. Com três gols marcados por Lionel Messi, Neymar e Paco Alcácer, o catalão saiu vitorioso da disputa, conquistando seu 29º título.

O ato final. No dia 28 de maio de 2017 o Vicente Calderón abriu suas portas uma última vez para receber uma partida de futebol. A ocasião especial demandava convidados especiais, e assim foi; mais de 51 mil pessoas foram ao estádio para recepcionar um amistoso entre estrelas do futebol mundial e do passado e presente do Atleti, com a presença de jogadores como Seedorf, Dudek, Higuita, Caniggia, Zico, Ronaldinho Gaúcho, Diego Forlan, Luiz Pereira, Gabi, Saúl, Koke e Fernando Torres. O time de lendas mundiais derrotou os donos da casa com um gol de diferença, vencendo de 5 a 4. Quem marcou para o visitante foi Claudio Caniggia, o ex-goleiro René Higuita, de pênalti, Andriy Yarmolenko, Cuauhtémoc e Blanco, que marcou dois gols. Ronaldinho Gaúcho perdeu uma chance de marcar de pênalti, mas não deixou de ser muito exaltado por todo o público presente. Os responsáveis pelos gols do anfitrião foram Fernando Torres, Román, Pedro e Alejandro.

De malas prontas, o Atlético de Madrid se mudou em setembro de 2017 para a nova casa, o Wanda Metropolitano. O estádio, antes chamado de La Peineta, pertencia à prefeitura de Madrid. Foi adquirido pelo clube e custou aos cofres pouco mais de R$1bilhão, em obras iniciadas em 2013 e finalizadas antes do início da temporada 2017-18 da Liga Espanhola. Com capacidade para cerca de 74 mil espectadores, o estádio é um dos mais modernos do mundo e, sem dúvidas, se coloca como um dos mais belos do país. Sua estreia foi ainda mais bela para os colchoneros: a primeira partida, realizada em 16 de setembro, foi contra o Málaga. Com a casa cheia – 68 mil torcedores –, o Atlético venceu por 1 a 0, com gol de Antoine Griezmann numa noite especial, com paraquedistas do exército pousando no gramado para trazer a bola da partida e a presença do Rei da Espanha, Filipe VI.

A demolição de Don Vicente ainda não tem data para acontecer, mas é provável que o estádio dê lugar à um parque no local. Mesmo com seu futuro desaparecimento físico, o valor do estádio permanecerá sempre na alma do time. Nas palavras de Gabi, volante do time: não morreu um estádio, mas nasceu uma lenda.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle