Os motivos de torcer pela Briosa

Atualizado: 26 de Jul de 2020

O torcedor Alex Ferreira, fanático e apaixonado pela Portuguesa Santista, acredita que todos os moradores da cidade de Santos tem algum parente, amigo, ou alguma experiência própria que traga uma história memorável vivida dentro do Ulrico Mursa, ou que seja em algum jogo da A. A. Portuguesa. Aos mais chegados, claro, a história deve se repetir algumas vezes, tomar conta de momentos familiares, roda de amigos e qualquer outro lugar onde gostam de contar e ouvir histórias sobre momentos vividos naquele alambrado, naquela arquibancada. Não precisa ser o torcedor mais fanático para se recordar do dia em que os Meninos da Vila, embalados por Diego e Robinho de uma geração tão vitoriosa e falada, foram derrotados dentro do Ulrico Mursa e nem para se relembrar dos acessos de 1964, 1995 ou do mais recente, em 2016.

Para ele, a sensação de entrar no estádio, reconhecer velhos amigos, torcedores de outros grandes clubes que não o seu, mas que ali esquecem de tudo e torcem exclusivamente para a camisa rubro-verde, é completamente única. Juntar os amigos ao lado do banco de reservas dos visitantes, beber para tornar ainda mais difícil o trabalho dos adversários, quem sabe pedir paçocas ao Zé do Amendoim, comer tremoços, ou a "quentinha e gostosinha" pipoca da titia Alice, como é falado por Walter Dias, locutor oficial do estádio. Impossível não guardar momentos especiais entre ele e os amigos, que se unem por um só motivo: a Briosa. Diferente dos estádios modernos, o Ulrico traz a verdadeira sensação de jogar junto ao seu time do coração.

Não é muito difícil reparar que os alambrados mantêm-se firmes, em um universo de novas arenas que cada vez mais buscam torcedores sentados, aplaudindo apenas como se fosse um espetáculo teatral. Já no Ulrico, o verdadeiro espetáculo está ali, nas origens de se pendurar e escalar o alambrado na hora do gol, xingar a arbitragem bem de perto a cada lance duvidoso, trazer a verdadeira pressão que um estádio pode ter, nas velhas arquibancadas de concreto, puro, sem cadeiras e com torcedores apaixonados, empolgados , que acreditam realmente fazer a diferença quando mudam de lado de acordo com o lado que o time ataca.

Ficam em cima, pressionando os jogadores em busca de mais uma vitória e de mais um resultado. Vale dizer que lá as tradições são mantidas, geralmente em família, onde avôs, pais e netos, muitas vezes juntos, desfrutam de momentos alegres, criando novas histórias para serem passadas adiante. Nas últimas 5 partidas dentro de casa, a Portuguesa Santista venceu as 5, e segue firme sua caminhada por mais um acesso, por mais uma história. E olha, Alex garantiu que quem for ao Ulrico pela primeira vez, voltará sempre.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo