Santos e a geração do 'quase'

Atualizado: há 3 dias

Para o torcedor santista a palavra QUASE se tornou um pesadelo. Isso porque nos últimos anos o time deixou a desejar em quase todas as competições que disputou

Quase é um advérbio e quer dizer aproximadamente ou próximo ou perto... Uma ligeira diferença para menos! Algo que está prestes a acontecer, prestes a chegar lá... Enfim, acho que deu pra entender não é? Mas, calma que vocês já vão entender o porquê de tudo isso... No último domingo, 19 de novembro, o Santos enfrentou o América MG na Vila Belmiro e sofreu sua quarta derrota seguida fazendo o sonho da liberta ficar só em sonho mesmo. E para falar da atual situação do Santos é preciso voltar um pouco no tempo. Vamos para o ano de 2015 onde essa geração do “quase” começou.

2015

Em 2015, disputamos três competições: Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

O Campeonato Paulista para nós era “de lei”, já que desde 2009 estávamos sempre entre os finalistas e nas últimas 6 finais em 3 tínhamos levado a taça pra casa(2010, 2011 e 2012). E nesse ano não foi diferente, chegamos mais uma vez na final e batemos o Palmeiras nos sagrando campeões.

Na Copa do Brasil, chegamos a final e mais uma vez tínhamos pela frente o Palmeiras... No primeiro jogo da final saímos vitoriosos por um placar magro (1x0) que poderia ter sido maior se Gabriel Barbosa não tivesse perdido um pênalti e Nilson não errasse um gol praticamente sem goleiro (cena essa que me assombra todas as noites ainda). Bom, ainda não sabíamos, mas era aqui que começava a “Geração do quase”... No segundo jogo da final a equipe alviverde ganhou por 2x1 levando a decisão para os pênaltis onde também levou a melhor. Pois é, quase fomos bicampeões da Copa do Brasil naquele ano. Já no Campeonato Brasileiro nossa campanha só nos rendeu o sétimo lugar da competição.

2016

No ano de 2016 disputamos as mesmas competições do ano anterior e levamos a melhor somente no Paulista... De novo.

Ficamos conhecidos como o time que só jogava o Paulistão e não para menos nos últimos anos era só isso que conseguíamos ganhar. Na final daquele ano batemos o Audax e mais uma vez comemoramos a conquista de mais um estadual. Pelo visto, as coisas começariam a dar certo... Ou não!

Na Copa do Brasil fomos eliminados nas quartas de final pelo Internacional.

No Brasileirão 2016 colamos na vice-liderança e até chegamos a sonhar com o título... Mas, por conta de tropeços nas últimas rodadas, o Palmeiras abriu larga vantagem e novamente ficamos no quase!

2017

O ano de 2017 foi bem movimentado na agenda santista, disputando quatro competições o torcedor sonhou alto. Entretanto, deu tudo errado e mais uma vez aquela palavrinha nos assombrou...

No campeonato Paulista, que estávamos tão acostumados a tirar de letra, acabamos sendo surpreendidos nas quartas de finais e caímos para a Ponte Preta que venceu o primeiro jogo por 1x0 e mesmo perdendo o segundo pelo mesmo placar levou a melhor nas penalidades. Quase!

Já na Copa Libertadores fomos avassaladores na fase de grupos, chegamos ao mata-mata invictos. Nas oitavas de final passamos pelo Atlético Paranaense (vale ressaltar que foi com muito sufoco, mas passamos). Todavia, melhoramos bastante no primeiro jogo das oitavas contra o Barcelona de Guayaquil e arrancamos um empate em solo adversário. No jogo da volta, entretanto, nosso futebol sumiu e, em casa, perdemos e consequentemente a classificação não veio. Um quase a mais na lista...

Na Copa do Brasil, chegamos até as quartas de final apenas... Em confronto contra o Flamengo, perdemos o primeiro jogo por 2x0, o que complicaria bastante no jogo de volta pelo quesito do gol qualificado. Entretanto, mesmo não fazendo um bom jogo fora de casa, o segundo com a nossa torcida foi espetacular. Batemos o Flamengo por 4x2 num jogo com direito a lance polêmico que rendeu muitas discussões. Enfim, quase passamos... Faltou só um gol...

Mais uma vez nos restava só o Brasileiro e vínhamos fazendo uma boa campanha... Mas, com um primeiro turno avassalador do Corinthians foi difícil tirar-lhes o título, mesmo que tenham caído de rendimento no segundo turno. Todavia, na última rodada podíamos terminar em segundo mais uma vez. Mas, como sempre ficamos no quase quando traçamos um objetivo, é obvio que não ficamos em segundo. Terminamos em terceiro atrás de Corinthians e Palmeiras após empatar na última rodada com o Avaí. Se ganhássemos aquele jogo, o vice-campeonato seria nosso. Foi quase...

2018

Esse ano também disputamos quatro competições e mais uma vez passamos em branco em todas.

No Campeonato Paulista saímos para o Palmeiras em dois grandes jogos onde o Santos teve muita vantagem, entretanto por motivos de sorte ficamos no quase mais uma vez...

Deixando claro desde já que esse ano não foi dos melhores, todavia com a troca do treinador (saiu Jair Ventura e entrou Cuca) melhoramos bastante, deve-se dar destaque também as contratações que chegaram fazendo uma grande diferença tendo em vista que o time precisava de peças chaves em setores cruciais do campo. Com uma crescente vistosa o torcedor santista começou a sonhar e após chegar aos trancos e barrancos, ainda com Jair no comando, as quartas de final da Copa do Brasil, o time enfrentou o Cruzeiro sob o comando do novo técnico já.

Mesmo sem os reforços estarem inscritos na competição, fizemos um bom primeiro jogo e numa infelicidade tomamos um gol. Já no jogo de volta o Santos bateu o Cruzeiro em pleno Mineirão por 2 a 1 com polêmica no ultimo lance, após o juiz encerrar o jogo antes do tempo em um contra ataque promissor do time da Vila. Resultando: nos pênaltis o time da casa levou a melhor... Quase passamos...

Na Copa Libertadores, pode-se dizer que fomos desclassificados já que o jogo foi decidido nos tribunais e não em campo... De qualquer forma a frustração dos santistas foi gigantesca. Preciso dizer que ficamos no quase mais vez?

No Brasileirão, o Santos passou por maus bocados logo no inicio tendo passado boa parte do primeiro turno brigando para sair da parte debaixo da tabela. Depois de se livrar do pesadelo da Série B, nas últimas rodadas chegou a ficar a um ponto de entrar no G6 e tendo pela frete ainda um confronto direto contra o Atlético Mineiro... Mas, o time do quase mais uma vez fez jus ao título recebido nos últimos anos e chegou à quarta derrota seguida (Palmeiras, Chapecoense, Flamengo e América Mineiro). A diferença agora para conseguir uma vaga no G6 chega a sete pontos, deixando o sonho da Libertadores em 2019 ainda mais longe. Mesmo com confrontos diretos contra Botafogo e Atlético Mineiro a situação ainda é complicada.

Quase... Quase... Quase... O torcedor santista já não aguenta mais passar por isso, o time sempre chegando e em momentos decisivos “pipoca”. Por um ponto, por um gol, uma bola que deixou de entrar, um errinho no momento em que não podia errar... E assim segue a geração do quase, enquanto continuarmos acomodados em chegar em segundo ou se conformar com um futebol mediano nada vai mudar.

Agradecer ao fato de não cair, como o próprio treinador disse é importante, mas se acomodar a isso e achar que a missão acabou dá ainda mais sentido a tudo isso. O Santos é muito mais que um advérbio, o Santos pode muito mais do que apenas ficar no quase e é isso que eu e toda a torcida santista espera para 2019: um time que não fique no quase e sim que chegue lá!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle