Ir ao estádio sozinha é um ato de coragem

Atualizado: Jul 26

Esses dias estava comentando com um amigo que não tinha ido a um jogo que queria e ele me indagou, mas por que tu não foi? Porque meus familiares não quiseram ir, respondi. Mas por que tu não foi?, ele continuou. E aí eu parei pra pensar, “por que não fui ao estádio sozinha?”

Quantas mulheres vocês já viram no estádio desacompanhadas? Como boa observadora que sou, costumo ficar reparando as movimentações das pessoas nos intervalos dos jogos. Entradas, saídas, lanches comprados, pausas pro banheiro. E sempre reparei que boa parte das mulheres que vejo estão acompanhadas, de pais, namorados, amigos. Em sua maioria, homens.

E aí me vem de novo a questão, “por quê?”. Tendo a acreditar que o motivo esteja no fato que o respeito está atrelado a figura masculina e não a feminina, uma mulher desacompanhada teoricamente está dando “bandeira verde” para assédios, uma mulher sozinha não impõe respeito. Pensamento mais que ultrapassado, mas que ainda persiste. Pensamento que não deve ser o nosso. Em um espaço predominantemente masculino, as regras são feitas por eles e as vezes parece que temos que nos encaixar nelas, mesmo cientes que o respeito é o mínimo e é nosso por direito.

Ir ao estádio sozinha é um ato de coragem. Depois de tudo, é essa coragem que buscarei. Essa coragem que incentivarei em todas minhas amigas. Essa coragem que espero que minha filha não precise ter, porque pra ela o mundo já estará, espero, um pouquinho mais tolerante. Afinal esse espaço também nos pertence, então que nos aceitem. Já é tempo. Já tá tarde. Acompanhada ou não, só queremos assistir nosso jogo em paz. Se uma vitória do nosso time vier, melhor ainda.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle