Sempre recordaremos a campeã Chapecoense

Atualizado: Jul 26

"Que se escute em todo continente, sempre recordaremos a campeã Chapecoense"

​O dia 29 de novembro de 2016 era pra ser só mais um dia normal na minha vida (e na de muitos também), mas, quis o destino que nos lembrássemos dele de uma maneira muito triste. Um clube que em tão pouco tempo chegou tão longe, e quando estava perto de alcançar o maior triunfo de sua história, teve seus planos interrompidos. Saíram da Série D, chegaram a Série A, conquistaram o mundo e se eternizaram na história. Uma tragédia que gerou comoção nacional e internacional. No mundo se fez silêncio e o verde tomou conta de tudo e todos simbolizando a esperança e a vida dos eternos campeões, jornalistas e toda a equipe de tripulação que partiram, mas ainda vivem em nossos corações.

Como todos os dias, me levantei para ir à escola e como sempre antes de sair peguei o celular para conferir as mensagens que tinha recebido durante a noite e foi aí que, em um grupo de amigos, li que o avião que levava a delegação da Chapecoense havia caído.

Durante toda a manhã lembro-me de não me concentrar em nenhuma atividade, não prestei atenção em nada que os professores falavam, e nem conversei direito com meus amigos... Estava arrasada e não era pra menos... Conforme ia recebendo as notícias no celular, comecei a chorar e não conseguia parar. No resto do dia não assisti à TV, não conseguiria nem que quisesse, sabia que as lágrimas mais uma vez iam invadir o meu rosto.

Forçava-me a lembrar do jogo classificatório que tinha visto alguns dias antes e não conseguia encarar o fato de que aquilo realmente estava acontecendo. Não, não... Não podia ser real. Lembrava-me da comemoração em vão no gol em que foi anulado, dos minutos angustiantes de quando o San Lorenzo subia com perigo ao ataque e no segundo final a defesa de Danilo. A defesa milagrosa que colocou a Chape na final da Sul-Americana. A comemoração no vestiário, a alegria de um time que estava crescendo a cada dia, se superando, realizando sonhos, lutando e batalhando para serem campeões! Aquele acidente não podia ter acontecido, o sonho não poderia acabar assim... E não acabou!

A Chape foi declarada campeã da competição a pedido do Atlético Nacional que em formalidade pediu à Conmebol: “O Atlético Nacional pede para a Conmebol que o título da Copa Sul-Americana seja entregue à Associação Chapecoense de Futebol como louro honorário pela sua grande perda e em homenagem póstuma às vítimas do fatal acidente que deixa o nosso esporte de luto. Da nossa parte, e para sempre, a Chapecoense é a campeã da Copa Sul-Americana.” E ao mesmo tempo, a Chape nos mostrou como devemos dar valor a vida e aqueles que amamos, porque partimos quando menos esperamos, sem aviso prévio, sem despedidas e o que resta é apenas a saudade... Mas, não! É preciso lembrar-se da alegria e de como ficamos arrepiados ao ver a comemoração daquele gigante no vestiário cantando alegres: “Vamos, vamos Chape”. Essa é a imagem que devemos ter sempre que nos lembramos daquele ano de 2016. Daquele time que nos encantou com sua simpatia e humildade.

E antes que me perguntem, não era torcedora da Chape. Mas naquele dia deixei de lado todo e qualquer pretexto de rivalidade. E hoje, dois anos depois ainda não consigo falar sobre isso sem derramar lágrimas, na verdade nunca vou conseguir... A Chape fez pessoas de todas as partes do mundo (amantes do futebol ou não) vestirem a mesma camisa; a Chapecoense fez com que eu amasse e torcesse por outro clube brasileiro que não fosse o meu; a Chape mostrou a importância que tem a vida e que o fim chega sem avisar, no meio de uma comemoração ou de um grito; a Chape jamais voltará a ser o que era, e os eternos campeões jamais serão esquecidos; a Chapecoense somos nós e nós somos a Chape.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle