Com dois golaços de Portaluppi, Grêmio pra sempre campeão mundial

Atualizado: Jul 25

O ano de 1983 é inesquecível para os torcedores gremistas. Foi neste ano que o clube gaúcho tornou-se campeão da Libertadores e do Mundo pela primeira vez. O início do sonho tornou-se realidade quando o Grêmio disputou o primeiro jogo da final da Libertadores da América. O time gaúcho foi até o Estádio Centenário no Uruguai, o adversário era o atual campeão da competição, o Peñarol. A partida terminou empatada em 1 a 1. E a decisão iria acontecer no Estádio Olímpico Monumental.

Para tornar-se campeão da competição, era necessária uma vitória. O empate levaria a partida para um terceiro jogo em campo neutro. Comandado por Valdir Espinosa, o Grêmio de Hugo De Léon e companhia, realizaram um jogo emblemático na noite de 28 de julho. A vitória veio no final do 2º tempo. Com o placar empatado em 1 a 1, Renato Portaluppi foi o autor de uma jogada memorável. A jogada iniciou pelo lado direito, Renato tocou curto para Tarciso. Nosso Flecha Negra teve que pensar rápido e devolver a bola para nosso futuro homem gol. Após receber a bola, Renato se viu cercado por dois marcadores. Com um pensamento rápido e jogada de gênio, coube ao nosso número 7 dar um balãozinho. A bola foi parar na pequena área, onde estava César. E com um cabeceio mortal, balançou as redes do Monumental. Festa em Porto Alegre. Grêmio CAMPEÃO DA LIBERTADORES DA AMÉRICA. Com o título conquistado, a equipe tricolor começou a planejar a sua ida para Tóquio. Afinal de contas, o ganhador da Libertadores disputaria o tão sonhado Mundial de Clubes.

Novamente o destino colocou um gigante do futebol no nosso caminho. Desta vez o Hamburgo da Alemanha. Mas como nós torcedores sabemos, nada na nossa história foi conquistado de maneira fácil. Tivemos que enfrentar a catimba na Batalha de La Plata, tivemos que conquistar a Libertadores com sangue. E desta vez? Como iriamos conquistar o mundo? Como seria a história da nossa conquista?

Eis que o grande dia chegou: 11 de dezembro de 1983. O mundo inteiro estava com os olhos em Tóquio. O Grêmio estava disputando pela primeira vez o mundial, e contra um time que era um dos favoritos para tornar-se campeão. Mas a nossa alma copeira nunca desiste e se entrega. Ainda no primeiro tempo. Renato Portaluppi balança as redes. Grêmio 1 a 0. Festa momentânea em Porto Alegre.


Sabíamos que essa disputa não seria fácil, e não foi. Renato sentiu câimbras e esteve fora do campo por alguns minutos. O time alemão começava a pressionar, e chegava aos gols em vários momentos. A pressão cedeu, faltando quatro minutos para o fim do segundo tempo, Schröder empatou a partida.

O empate por 1 a 1, levou a prorrogação. Os nervos estavam a flor da pele, o Grêmio precisava de um gol. Mas o dia era mesmo de Renato Portaluppi, novamente a estrela do nosso homem gol brilhou. Aos três minutos do início da prorrogação veio o gol. Nada mais tirava esse título do Grêmio.

O apito final soou: GRÊMIO CAMPEÃO MUNDIAL. O mundo estava sendo pintado de azul!

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle