1962: Santos quebra hegemonia uruguaia e consagra-se campeão

Atualizado: Jul 26

Na sua primeira participação no torneio continental, o Santos conquistou sua primeira Libertadores da América

No time Alvinegro Praiano disputou a Libertadores da América em 1962 contra o extraordinário Peñarol, que era o atual bicampeão do campeonato. O torneio, ainda era recente, criado em 1960, impossível imaginar, que seria palco para grandes emoções aos torcedores santistas e amantes de futebol.

Em sua primeiríssima decisão de Libertadores, o Santos teve que encarar o Peñarol. Os uruguaios contavam com alguns jogadores considerados destaques, entre eles, Pedro Rocha, Spencer (o maior artilheiro com 54 gols), Maidana e Caetano.


Porém, o Santos não poderia contar com o Rei Pelé, o mesmo estava contundindo. Apesar desse fator de extrema preocupação, o time não deixou de mostrar total determinação e raça, vencendo a equipe uruguaia por 2 a 1, com dois gols de Coutinho, no primeiro jogo em Montevidéu.


No jogo de volta, na Vila Belmiro, o Peñarol não deixou “barato” e venceu por 3a 2. Após muita confusão gerada pela torcida, ao jogar uma garrafa dentro de campo, o juiz suspendeu a partida. Passaram-se algumas horas e a partida finalmente foi reiniciada, com o Santos somando mais um gol para sua conta. O empate dava o título para o alvinegro praiano. O juiz apitou, fim de jogo. A festa estava garantida, ou não! Alguns dias depois a Conmebol acatou e exigiu que fosse feito um terceiro jogo.


Mais uma vez, o clima era tenso, de decisão e os melhores se enfrentavam. O Pelé estava de volta, e foi graças ao jogador que o Santos consagrou-se campeão. Com dois gols do Rei e um contra de Caetano, o Peixe conquistava pela primeira vez o título de campeão da Libertadores.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle