1964: Independiente, o primeiro campeão argentino

Atualizado: 26 de Jul de 2020

A quinta edição da Libertadores da América contou com o título inédito de um time argentino.

O primeiro time argentino a conquistar a Copa Libertadores da América sagrou-se campeão em 1964, na quinta edição da competição. O Club Atlético Independiente colocava fim ao período de hegemonia de times brasileiros e uruguaio na competição.


Em sua estreia jogando com o mando de campo e contando com um de 45 mil torcedores, goleou com o placar de 4 a 0 a equipe peruana Alianza Lima, com gols de Savoy, Rodríguez, Rolan e Suárez. Pelo jogo da volta as equipes empataram em 2 a 2, gols assinalados por Pedro Léon (Alianza Lima) e Savoy (Independiente), o jogo foi marcado pelas duas expulsões dos jogadores da equipe da casa, De La Vega e Grimaldo.


Em confronto com o time colombiano Millonarios, mais uma vez o Diablo Rojo presenteou a sua torcida com uma goleada de 5 a 1, com gols de Rodriguez (2), Suárez (2) e Savoy (1), pela equipe colombiana quem descontou foi Basilio. O jogo da volta não ocorreu, devido a diferenças surgidas entre a Confederação Sul Americana de Futebol e a liderança do futebol Colombiano, com o fato a C.S.F determinou que os pontos fossem considerados (ganhos) ao time argentino. Classificando o Independiente para a próxima fase da competição.


Pela semifinal da competição o adversário era o bicampeão Santos, como visitante o time argentino garantiu o placar de 3 a 2, gols de Rodriguez, Bernao e Suárez, pela equipe santista Peixinho e Pepe marcaram os dois gols do Santos. No jogo da volta, a equipe argentina garantiu a classificação com a vitória de 2 a 1, com um público de 70 mil torcedores, Mori e Rodriguez carimbavam o passaporte para a final da competição. Neste jogo, Toninho jogador da equipe brasileira, autor do gol na partida e Guzmán foram expulsos.


O detalhe curioso envolvendo esses confrontos é que recentemente no ano de 2014, a TV argentina trouxe à tona gravações telefônicas entre Abel Gnecco, representante argentino no comitê de arbitragem da Confederação Sul Americana de Futebol e o ex-presidente da AFA, Julio Grondona (morto em 2014), este que na época era presidente do Independiente. Nas escutas telefônicas, Grondona confessa ter conspirado a arbitragem da semifinal entre Santos e Independiente, para que o time brasileiro não se classificasse. Em entrevista ao Jornal Folha de S. Paulo, Lima, ex atleta do Santos comentou:


Arbitragem foi estranha naquele jogo que fizemos no Rio, deixou o Independiente bater a vontade. Nos lances duvidosos o apito era contra o Santos. Nos contra- ataques, os bandeiras marcavam impedimentos inexistentes contra o Santos. São situações não tão claras de interferência na Arbitragem, mas que há um prejuízo... Então não fico surpreso do caso ter sido retomado”.

No primeiro jogo da final, Independiente foi até o Uruguai para enfrentar o Nacional, o jogo acabou no empate em 0 a 0. No dia 12 de agosto de 1964, no jogo que definiria o campeão, diante de 60 mil torcedores, o artilheiro da competição e do time Mario Rodríguez, aos 31 minutos do primeiro tempo explodia a rede, assinalando o gol da vitória e garantindo o título da equipe argentina. O time escalado e responsável pelo feito era composto por Miguel Santoro, Juan C. Guzmán, Tomás Rolan, Roberto Ferreiro, Acevedo, Maldonado, Bernao, Pedro Prospitti, Luiz Suárez, Mario Rodríguez, Raul Savoy, o time era comandado pelo técnico Manuel Giudice.

0 comentário

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle