A solidariedade ao sonho interrompido

Atualizado: Jul 26

Muitos meninos crescem com o sonho de se tornarem jogador de futebol. Crescem envolvidos com treinos, na escola, nos bairros ou na própria rua, improvisando um gramado (ou até mesmo golzinho feito com chinelos nas ruas). Se desenvolvem imaginando crescer na profissão, imaginando passar para o time da base e expandir seu espaço ali dentro, encontrando novos caminhos, rumos e torcidas para conquistar, se espelhando em jogadores que tiveram esse mesmo caminho, como Neymar Jr e Vinícius Jr.

Os meninos saem de casa cedo para conquistar o mundo a fora, passam a viver por eles e pelo sonho que os levaram até ali. Saem do conforto de casa e vivem em um Centro de Treinamento, com mais (outros) meninos com o mesmo sonho.

O mundo esportivo e, principalmente, futebolístico, entrou em choque com a divulgação dessa notícia, porque todo mundo entende a vontade desses meninos que saíram cedo de casa. E, por isso, a empatia sobressaiu às rivalidades. Diversos times prestaram solidariedade e apoio ao rubro-negro carioca. E para concretizar ainda mais isso, o Vasco fez uma camisa em apoio ao momento em que o Mengão estava passando e como forma de agradecimento, ela está exposta no Centro de Memória da Gávea.

As homenagens não pararam por aí. No último jogo do Flamengo, 14, houve um momento destinado para a lembrança dos meninos. As pessoas da torcida receberam um pacote com três bolas brancas, que deveriam ser enchidas e levantadas quando as homenagens começassem no telão e, quando chegasse a 10 minutos, as bolas deveriam ser estouradas. Após o estouro, o Maracanã inteiro estava aplaudindo os meninos e relembrando como é o sonho de um menino que sai de casa para ser visto da arquibancada, da TV de casa ou com suas jogadas narradas pelo radialista. Para completar a emoção da quinta-feira, os jogadores do Flamengo divulgaram uma versão da música Azul da Cor do Mar, que estaria relembrando os meninos:

"Ah, como eu queria ver vocês aqui

Honrando o manto do Mengão, com raça e paixão

Mas, essa Nação jamais vai esquecer

O Flamengo vai jogar, pra sempre por vocês!

Ôôô, ole olê olê olê olê

São 10 estrelas a brilhar

No céu do meu Mengão!"

E assim é o mundo esportivo. Com momentos de vibração, alegria com conquista de algum título do seu time, de tristeza pela perda de jogos e, também, de solidariedade com aqueles que dedicaram sua vida pelo esporte.

Mas, o que eles, nem ninguém se quer imaginava, é que esse sonho pudesse ser cortado por um acidente, como o fogo que alastrou e invadiu os quartos, transformando o que era sonho em pó. E essa foi a realidade de 10 garotos de 14 a 16 anos no CT do Flamengo.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle