1999: Com São Marcos, Palmeiras conquista a Libertadores

Atualizado: Jul 26

O Palmeiras começou a competição empolgando o seu torcedor, mas só durou duas partidas. O alviverde estreou vencendo o seu rival Corinthians por 1 a 0 e goleando o Cerro Porteño por 5 a 2 fora de casa. Já na terceira partida, o time foi goleado pelo Olímpia no Paraguai e no Palestra ficou no empate por 1 a 1. O Corinthians, dessa vez jogando em casa, venceu por 2 a 1, mas outra vitória em cima do Cerro Porteño na última partida da fase de grupo garantiu o clube nas oitavas de final contra o Vasco.

O 1 a 1 foi o placar em casa, mas em São Januário, o time paulista goleou. 4 a 2 e o Palmeiras avançava na competição. Nas quarta de final ele tinha pelo caminho um antigo e conhecido rival: Corinthians. O Verdão venceu a primeira partida por 2 a 0 e perdeu o segundo jogo pelo mesmo placar. A partida com um dos seus maiores rivais em uma Libertadores, foi para os pênaltis. Foi a vez de Marcos brilhar, o goleiro parou Vampeta e colocou o time na semifinal contra o River Plate. Na argentina, o Palmeiras perdeu por 1 a 0 e precisava reverter o placar em casa. Venceu por 3 a 0 e garantiu a vaga na final.

Contra o Deportivo Cali, novamente o Verdão precisava reverter em casa o placar de 1 a 0. O primeiro tempo no Palestra terminou sem gols, o que só aumentou o nervosismo do torcedor. Na segunda etapa, o Palmeiras abriu o placar com um gol de pênalti de Evair, mas a felicidade não durou muito tempo. O time colombiano logo depois empatou, também em uma penalidade máxima. Seguiu assim até os 31 minutos, quando um gol de Oséas tirou o título até então garantido do time de Cali e encheu o Palestra de esperança. Agora a partida iria para os pênaltis.

Com o placar de 2 a 1, a partida foi para os pênaltis. Zinho, Júnior Baiano, Roque Júnior, Rogério e Euller foram os escolhidos para representarem a equipe alviverde. Zinho testou o coração do torcedor, acertando na trave e desperdiçando a sua penalidade. Dudamel converteu e o Desportivo saiu na frente. Júnior, Roque e Rogério fizera. Do lado adversário, Bedoya perdeu. Seguia 3 a 3 de quatro oportunidades para cada lado. Eulller marcou e contou com Zapata, que perdeu a sua cobrança. 4 a 3 e o Palmeiras se consagrava campeão da Taça Libertadores da América, em casa e com emoção de sobra para cada torcedor guardar na memória.

O dia 16 de Junho de 1999 foi um dia inesquecível para o Palmeiras. Aquela noite foi marcada pelo título histórico que contou com Luiz Felipe Scolari, Marcos sendo consagrado e a conquista da Libertadores nos pênaltis no Palestra Itália. Essa foi a 3ª final da competição disputada pelo Palmeiras, outras duas disputadas em 1961 e 1968, perdendo para o Peñarol e Estudiantes.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle