Esporte nacional luta contra a MP 841

Atualizado: Jan 17

No ano passado, o Planalto anunciou a Medida Provisória de número 841, que repassa os recursos das loterias federais à segurança pública. O problema é que esses recursos, atualmente, fazem parte do financiamento ao esporte nacional. A Medida, assinada pelo presidente Michel Temer e publicada no Diário Oficial da União no dia 12 de junho, seria responsável por retirar cerca de 510 milhões de reais do esporte somente em 2019.

Se o “legado” após os Jogos Olímpicos de 2016, realizados no Rio de Janeiro, ficou bem abaixo do esperado, com modalidades e atletas consagrados perdendo parte dos recursos de financiamento, a MP 841 pode apresentar uma realidade ainda pior e de mais escassez. Além de prejudicar o alto rendimento, ameaçando projetos como o Bolsa Atleta e Bolsa Pódio, a Medida Provisória em questão também tem alto impacto na formação de atletas. A Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU), ressalta que algumas das consequências da MP 841 podem ser o cancelamento de cerca de 80 mil bolsas de atletas universitários, a não participação nacional em competições no exterior e, até mesmo, a extinção da temporada dos jogos universitários brasileiros.

Por essa razão, entidades e ídolos do esporte nacional fazem ecoar o grito de resistência ao projeto. Gustavo Kuerten, do tênis, Hugo Calderano, do tênis de mesa, Hortência Marcari, do basquete e Sarah Menezes, do judô, foram alguns dos nomes que endossaram a campanha compra a Medida. Além dos atletas e ex-atletas de diversas modalidades, o futebol também está sendo representado, por exemplo, pelos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro, que também se posicionaram de forma contrária ao projeto.

Através de uma nota publicada no site oficial, o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC), destacou a importância da manifestação contra a Medida. “Esta MP trouxe à tona uma demonstração de união: clubes e atletas de peso se posicionaram contra, engrossando a campanha #LutoPeloEsporte encabeçada pelo CBC. Nossa voz ecoou tão alta nas redes sociais e mídia (por meio de Notas de Repúdio assinada por 54 clubes e outra com o apoio de entidades como COB, CPB, CBDE e CBDU, entre outras) que chegou com força total ao Congresso Nacional, onde atuamos em várias frentes para reverter os efeitos da Medida com apoio, inclusive, dos presidentes do Senado Federal e da Câmara dos Deputados”.

Provavelmente, um dos maiores erros da MP 841 é ignorar o papel fundamental do esporte enquanto política pública. A correlação é imediata – mais esporte é diretamente proporcional a um menor índice de violência. É justamente através da prática e dos valores esportivos que a manutenção da segurança, no futuro, é facilitada. Se o tradicional ditado ensina a “prevenir para não remediar”, a Medida faz o inverso – busca, de forma controversa, remediar, ao invés de prevenir. Em meio à luta de atletas e entidades, a MP 841 segue em tramitação no Congresso, mas com uma promessa de alteração por parte do Governo.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo