• Taísi Sorrini

A grandeza de torcer para um time pequeno

Atualizado: Jul 25

São sempre as mesmas perguntas...

Qual é o nome do seu time mesmo?! Mas esse é o seu segundo time, né?! Por que você torce para esse clube?! E por aí vai... De maneira tranquila e orgulhosa sempre respondo: Sim, torço para um time “pequeno”, mas gigante em sua tradição, raça e humildade. Afinal, só quem vive essa realidade é capaz de entender.

Torcer para um time “pequeno” é chegar ao estádio e conhecer o guardador de carros, o bilheteiro, o locutor, o rapaz da lanchonete, o vendedor de águas e sorvetes. É sentir seu coração acelerar por pisar onde já torceu/jogou seu pai, seu avô e boa parte da sua família. É assistir aos jogos com o presidente do seu clube ao lado, sempre atento e contido. É se agarrar ao alambrado e em pequenos metros conseguir ouvir a respiração do seu jogador. É ter a arquibancada só para você e sua torcida, onde um grande palco de festa, cantoria, risadas e xingamentos é armado. É comemorar cada goleada de 1 a 0 e sonhar com algum tipo de acesso ou futuro glorioso. É chorar quando aquele ponto importante, classificação ou título escapa. É viajar para outras cidades e lotar o estádio visitante com 10 de nós. É prometer a si mesmo que nunca mais torcerá para o clube quando derrotado, e na próxima rodada se contradizer. É no final de cada partida cumprimentar (parabenizar ou cornetar) os jogadores e diretoria. É se reunir no bar mais próximo para tomar uma cerveja para comemorar, afogar as mágoas e comentar sobre o jogo do dia. E finalmente, é reviver tudo isso no próximo final de semana.

Por outro lado, é ter uma dificuldade enorme em adquirir camisa e outros itens do seu clube, afinal as grandes lojas esportivas não vendem artigos de competições de menor expressão. É ter um calendário restrito por conta dos campeonatos estaduais, onde boa parte do ano não há jogos e você é forçado a se conformar com isso. É raramente os jogos do seu time serem televisionados, e você ter que se virar pra acompanhar a partida pelo rádio ou internet. É ficar descontente com as transações de mercado que a sua diretoria faz, ver atônito o desmanche do seu clube e as contratações de insucesso. É conviver constantemente com as complicações financeiras, administrativas e de visibilidade.

Torcer para um time “pequeno” é, além de tudo, viver as alegrias e superar os problemas. É não importar-se com as perguntas de sempre e estufar o peito para falar sobre o seu clube. É preservar sua história, viver seu presente e estimular as futuras gerações. É formar uma grande família de apaixonados e sofredores. É vestir seu manto com orgulho, respeito e paixão.

Torcer não tem tamanho. Tem amor, história e entrega!

Eu sou Taísi Bech Sorrini, torcedora fanática do Nacional Atlético Clube - SP e apaixonada por futebol.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle