O futuro de Coutinho

Atualizado: Jul 25

Em janeiro de 2018 o brasileiro Philippe Coutinho saiu do Liverpool para se tornar a maior contratação da história do Barcelona, a maior venda na Inglaterra, o segundo jogador mais caro do mundo, atrás apenas de Neymar.

De lá pra cá foram 15 meses, muitos jogos e pouco do futebol que lhe rendeu o apelido de mágico na Inglaterra. Pelo Liverpool Coutinho era o camisa 10 de uma equipe que apesar de viver uma seca enorme de títulos nunca deixou de ser gigante e ele era o jogador mais importante dessa equipe. Ao sair Klopp afirmou que entendia a escolha do brasileiro, mas que achava uma pena. Para o técnico alemão o atleta estava perdendo a chance de “se tornar uma estátua” em Liverpool para ser apenas mais um dentro do Barcelona.

Ao chegar no time catalão Coutinho encontrou seu antigo parceiro de ataque, Luiz Suárez, e uma das maiores lendas do futebol, Lionel Messi que o receberam de braços abertos para que ele ocupasse o lugar que era antes do Neymar. Ganhou a lendária camisa 14 de Cruyff, foi comemorado pela torcida e recebido com status de craque, mas nada disso o ajudou e se transformar no jogador que o Barcelona esperava. Hoje é reserva, quando entra é sempre muito criticado, cria pouco, mostra pouca vontade em campo, erra passes bobos e dificilmente mostra qualquer coisa de parecido com o Coutinho de Liverpool. A falta do seu futebol já aparece também em seus jogos pela seleção brasileira. Depois de um excelente copa do mundo, Coutinho foi um dos piores nos dois preocupantes amistosos da seleção e claramente pode se tornar um grande problema para Tite, visto que nos jogos em que Neymar não jogou bem normalmente foi sempre Coutinho quem resolveu.

Já é quase certo que o futuro do brasileiro não deve ser mais na Catalunha no ano que vem. Juventus e Manchester United já se mostram dispostos a contar com atleta e ao que tudo indica devemos ver um verdadeiro leilão na próxima janela de transferência pelo brasileiro. Depois de 15 meses talvez Coutinho realmente entenda que cometeu um erro ao forçar sua saída do time onde era o líder técnico para tentar a sorte no gigante espanhol, quem sabe com ele no time o Liverpool pudesse até ter conquistado a Champions League no ano passado?

Aos 26 anos, momento da carreira em que deveria estar no seu auge, Coutinho deve ter pela frente mais uma escolha: continuar em busca do seu sonho no Barcelona ou encontrar um novo time para voltar a encantar o mundo do futebol.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle