O segundo hino da Seleção Brasileira Feminina


Depois do hino nacional brasileiro, importante símbolo da República Federativa do Brasil, “Jogadeira” é o hino em forma de samba que embalou a seleção brasileira feminina durante a Copa do Mundo da França.

Ser jogadora de futebol no Brasil é uma luta constante contra a falta de mídia, salários desproporcionais à modalidade masculina e os mais variados preconceitos. Porém, algumas atletas brasileiras encontraram uma maneira ao mesmo tempo descontraída e séria para chamarem a atenção sobre essa problemática no país do futebol, principalmente no ano da Copa do Mundo.

Seria muito desagradável nominarmos a canção interpretada pela jogadora Cacau apenas de música. O “Jogadeira”, além de hino, é a voz das jogadoras da seleção brasileira feminina, chamado à visibilidade das mulheres na categoria e resistência contra o machismo no esporte.

Junto da atleta do Corinthians, a ex-jogadora Gabriela Kivitz compôs o hino quando atuaram juntas nas Olimpíadas de 2011. Segundo elas, a letra provocativa é um enaltecimento das esportistas, aquelas que conquistaram o objetivo de jogarem bola profissionalmente, mesmo diante de todas as dificuldades, que não são poucas no país do futebol. Apaixonadas por samba, a canção também é um grito por igualdade no esporte.

O distanciamento da seleção brasileira de futebol feminino com o público, fez com que a categoria fosse esquecida e menosprezada durante muito tempo. Então, além de incentivar a futura geração de jogadoras, um dos principais intuitos da canção também foi a criação de uma identidade do povo brasileiro para com a seleção “canarinho” feminina, principalmente em ano de Copa do Mundo, quando o apoio da nação tornou-se um estímulo a mais.

Apesar de ter sido composto há alguns anos, o hino ganhou repercussão quando Cristiane, após marcar os três gols que deram a vitória à seleção na estreia da Copa contra a Jamaica, pediu o “Jogadeira” ao vivo no programa Fantástico (TV Globo), comemorando sua belíssima atuação. E desde então, as atletas brasileiras aderiram à canção como oficial para equipe “canarinho”. Tanto que no ônibus, a caminho dos jogos, entre batuques e cantorias, o hino embalou, empolgou e motivou as meninas da seleção verde-amarela. E nos momentos de descontração e lazer, a melodia também reverberou pelos cantos da França.

Entre uma batucada e outra, as jogadoras do Brasil se uniram para melhorar o astral da seleção após o retrospecto ruim antes do início do Mundial. A equipe feminina chegou com a responsabilidade de apagar as nove derrotas seguidas nos últimos jogos e pressionada a brigar pelo título mundial inédito.

Mas apesar da eliminação precoce diante das donas da casa, a seleção feminina foi fortemente abraçada pelos brasileiros e mostrou um desempenho formidável durante a competição. Torcida, samba, hino, alegria e talento não faltaram!

"Esta música é dedicada a todas as meninas que sonham ser jogadoras de futebol", assim é iniciado o clipe que já ultrapassa mais de 200 milhões visualizações no Youtube, onde foi lançado no início do mês de junho. O vídeo conta com a participação de diversas atletas, que cantam juntas e entusiasmadas o refrão emponderado do hino.

"Qual é, qual é, futebol não é pra mulher? Eu vou mostrar pra você, mané, joga a bola no meu pé". Mané, o futebol é de todos! É da mulher, do homem... de quem quiser jogar!

#FutebolFeminino #Jogadeira #SeleçãoFeminina

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle