Resenha: domingo de decisão para o mundo e para a América

Atualizado: Jul 25

Este é um domingo muito especial para todos aqueles que amam futebol. Nós vamos ter duas finais de duas competições importantíssimas: a Copa do Mundo Feminina e a Copa América.

Copa do Mundo

A Copa do Mundo foi um marco histórico da trajetória do futebol feminino. Finalmente as mulheres começaram a ser olhadas de outra forma dentro de campo. O grande público e os recordes batidos nos estádios do mundial viraram os holofotes e mostraram que as mulheres também podem! Futuramente irá existir a era antes e depois da Copa do Mundo de 2019.

A grande final é hoje, às 12h, em Lyon e será entre Estados unidos, três vezes campeã, e a Holanda, que está disputando pela primeira vez a final do Mundial. Apesar de estarem vivendo dois momentos diferentes em suas histórias, as duas têm algo em comum. Ambas as seleções são treinadas por duas mulheres, este fato aconteceu somente em 2003 quando Alemanha e Suécia disputaram a final da Copa. Na competição apenas 9 das 24 seleções são treinadas por técnicas.

Os Estados unidos entram em campo com o favoritismo, campanha impecável, um futebol de alta qualidade, muito organizado e agressivo. A Holanda chega surpreendendo, apesar de ser a campeã da Eurocopa de 2017, não era uma das favoritas, mas apresentou bons resultados com seu estilo de jogo mais denso e com a garra da nova geração holandesa chegou à final da Copa do Mundo de 2019. As duas seleções estão invictas e hoje esta invencibilidade tem que acabar para uma das duas.

Os Estados Unidos vai contar novamente com a sua líder e capitã Megan Rapinoe, que ficou fora da semifinal contra Inglaterra por causa de uma lesão na coxa. Já a Holanda tem uma notícia ruim, Lieke Martens ainda é dúvida na partida porque tem sentido dores do dedão do pé.

Copa América 2019

Às 17 horas, no Maracanã, o Brasil enfrenta um adversário pouco esperado, Peru. A seleção peruana classificou em 3° lugar na fase de grupos e perdeu de 5 a 0 para o Brasil. Foi notável a evolução dos peruanos na Copa América, conseguiram eliminar duas seleções que eram dadas como favoritas, Uruguai e Chile.

Diferentemente do jogo contra o Chile, o time peruano deve adotar uma postura de jogo mais fechada, sistema defensivo bem postado, o que vai desafiar a seleção brasileira. A seleção peruana vai jogar com cautela, mas com muita vontade. Faz 44 anos que o Peru não joga a uma final de Copa América.

O Brasil entra em campo como favorito. Fez uma campanha questionada por “não convencer”, até mesmo na vitória sobre o Peru. Apesar de tudo, a seleção brasileira chega à final invicta e os números mostram que o Brasil foi a melhor seleção em tudo. O site WhoScored, especializado em estatísticas, fez um balanço desta Copa América e os brasileiros lideram todos os quesitos.

Além de não ter na conta nenhuma derrota, o Brasil tem o melhor ataque do torneio, 10 gols - sendo 5 contra o Peru; tem a melhor defesa, não sofreu sequer um gol; foi o que criou mais oportunidades por partida, 17,6 em cada 90 minutos - Uruguai vem em segundo com 16,3; maior posse de bola com 61,4%, em média, por partida - em seguida vem o chile com 54,3%; maior porcentagem de passes certos com 88,8% - atrás vem a Argentina com 83,1%. No mano a mano o Brasil também leva, acertou 19,2% dos dribles - logo depois vem a Colômbia com 15,5 por jogo

Ambas as seleções vão ter desfalques. O Brasil está sem William, que está com uma lesão na parte posterior da direita. E o Peru pode ter como desfalque Edison Flores, que está com dores no tornozelo direito desde a partida contra o Chile.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle