Stamford Bridge: o estádio dos azuis de Londres

Atualizado: 25 de Jul de 2020

Apesar de ser palco do clube do bilionário Roman Abramovich, é um estádio simples comparado com sua grandeza no século XXI. Confira um pouquinho sobre a história do estádio e a visita guiada.

O Stamford Bridge é o estádio onde joga o Chelsea, os Blues de Londres. É localizado em Fulham, na zona oeste da cidade londrina. Foi inaugurado em 28 de abril de 1877 e era usado como uma arena para atletismo do London Athletic Club, até que os irmãos Gus e Joe Mears compraram-no para receber partidas de futebol. Como nenhum clube se interessava em utilizar o estádio, os irmãos Mears fundaram um time em 1905, o Chelsea Football Club.

Seu nome remete a um passado histórico: à batalha de Stamford Bridge, que é retratada como o marco inicial do declínio da Era Viking. Mas ainda há outra teoria para o nome, a junção dos nomes das duas pontes e do rio próximo ao estádio. Sanford Bridge + Stan Bridge + Stanford Creek = Stanford Bridge = Stamford Bridge.

É um dos estádios mais antigos de Londres, com quase 140 anos. Já foi remodelado três vezes. Atualmente, tem capacidade para 41.837 pessoas mas já teve público recorde de 82.905 pessoas no derby londrino Chelsea x Arsenal em 1935. O SB já sediou jogos importantes internacionais, como a final da UEFA Champions League feminina 2012/13, três finais da FA Cup, dez jogos da Charity Shield (atual Supercopa da Inglaterra), além de uma partida da Seleção Brasileira (em 2013 contra a Rússia).


Mas vamos falar da minha experiência no Stamford Bridge. Eu faria um intercâmbio estudantil de três semanas na Inglaterra junto com 30 pessoas e ficaria um final de semana apenas em Londres. Meus pais já me desiludiam: você não vai conseguir conhecer o Stamford Bridge, esqueça essa possibilidade, não está no roteiro. Mas brasileiro não existe nunca, não é mesmo? Até a minha ida para Londres não estava certo que eu conseguiria ir. Foi assim, na hora, no feeling, que o meu anjo da guarda Gigi topou essa loucura comigo. Terminamos de almoçar e fomos de Uber do Madame Tussauds para o estádio (15 fucking libras). Como éramos estudantes, pagamos meia entrada do tour - 16 libras - para o tour tradicional que acontece de 30 em 30 minutos. Existem outras opções mais completas que necessitam de agendamento de horário.


É um tour muito interativo, você recebe um mini tablet com uma cordinha para colocar no pescoço que mostra informações sobre cada local do estádio em 10 línguas diferentes. A primeira parada é nas cadeiras do estádio, onde o guia se apresenta e brinca com o grupo. Por eu ser brasileira, ele simulou uma queda quando eu disse de onde era, já que na época da Copa o Neymar estava muito conhecido por ser cai cai. Em seguida, conhecemos a área de imprensa e não pude deixar de tirar aquela foto como se fosse a Marina (diretora do Chelsea que está presente em todas as fotos de apresentações de jogadores do clube), o vestiário do time adversário com várias camisas de jogadores lendários (Beckham, Messi, Maldini...) e o vestiário do time da casa com as camisas separadas pelas nacionalidades.

Em todos os lugares que passávamos, havia uma música ambiente diferente, com direito até ao som da torcida quando se passava pelos corredores. A parte mais emocionante com certeza é passar pelo túnel e chegar ao gramado, tirando aquela foto clássica em frente ao campo e podendo sentar-se no banco de reservas e fazer aquele cosplay de Fernando Torres. Por fim, você cai na megaloja do Chelsea, com vários produtos do clube e da Nike; os preços são bem salgados e só me dei conta disso quando adquiri um chaveiro do troféu da FA Cup por 15 libras (80 reais na cotação da época). Porém, é um tour muito interessante que vale a pena colocar no roteiro de viagem para Londres.

• Tour Stamford Bridge: Diariamente, a cada 30 minutos – das 10h às 15h (exceto em dias de jogos)

• Valores: Adultos: 24 libras | crianças: 15 libras entre 5 e 25 anos, menores de 5 anos não pagam | estudantes/idosos: 16 libras


Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle