Gurias Coloradas: Thessa Tayna, a capitã do Internacional

Atualizado: Jan 17

“Para as meninas que tem um sonho de ser uma jogadora de futebol, que elas não desistam, pois as oportunidades aparecem no tempo certo e temos que estar preparadas para elas. Trabalhem, sonhem que tudo é possível”. Esse é o recado que a volante do Internacional, Thessa Tayna de Paula deixou às meninas que sonham em ingressar na profissão. A atleta de 33 anos acredita que as coisas mudaram para o futebol feminino após a Copa do Mundo de 2019.


Oriunda de Jundiai (SP), Thessa aos 7 anos começou a ensaiar os primeiros toques na bola. Hoje é uns dos destaques da equipe colorada, está jogando a sua 3ª temporada pelo clube gaúcho e, segundo a atleta, está perto de um acerto para a renovação de seu contrato, que acaba no final deste ano. Com passagens no Vasco e Santos, a volante se diz identificada cada dia mais com o Internacional e sente que evoluiu seu futebol atuando pelo Inter.


A última Copa do Mundo feminina, realizada em junho deste ano na França, rompeu muitas barreiras e fez história no nosso país. A partida entre Brasil e França, pelas oitavas de final, foi assistida por 59 milhões de pessoas, maior audiência da história das Copas do Mundo de futebol feminino no mundo inteiro. Na profissão há 22 anos, Thessa acredita que a situação começou a mudar para o esporte e que o evento esportivo ajudou muito para aumento da visibilidade do futebol feminino. “Daqui a algum tempo, teremos visibilidade e estrutura. As pessoas querem ver os nossos jogos, as coisas começaram a mudar depois de muitos anos”.


Foto: Site Internacional

A sua inspiração é a única pessoa do mundo a ter participado, como atleta, de sete Copas do Mundo (incluindo homens e mulheres), a jogadora da Seleção Brasileira e do clube francês Paris Saint-Germain, Formiga. Thessa é feliz em dizer que pode chamar esse ícone do futebol de amiga. “A Formiga para mim é completíssima. Infelizmente ela não conseguiu conquistar o prêmio de Melhor do Mundo, mas olha a história dela, o que fez e faz para o futebol, simplesmente não tem explicação, um ícone.”


Thessa se diz realizada vendo a realidade mudar, quer aproveitar mais uns anos a profissão, se formar na faculdade de Marketing e depois trabalhar dentro do futebol com a formação.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo