O time que representa a Serra Gaúcha: as Mulheres do Brasil


Muito trabalho, dedicação, apoio e união, esses foram alguns dos principais ingredientes que as atletas e comissão técnica do Serc Brasil tiveram desde o começo do Campeonato Gaúcho de Futebol 2019. O resultado não poderia ser diferente: as Mulheres do Brasil conquistaram a 3ª posição na classificação geral da competição, ficando atrás somente de Internacional e Grêmio, e irão disputar contra o Oriente o título de campeão do Interior.


A história do time feminino do Brasil começou em 2017 através de um grupo de meninas liderado pela farroupilhense Marluce Araldi, que as reuniu e montou um time. Todas eram oriundas do futsal, então durante o ano aconteceu somente treinos para aprenderem o posicionamento do futebol de campo. No mesmo ano veio a parceria, através de um convite, com o time Rubro-verde, e assim foi fundado o Departamento de Futebol Feminino do Brasil de Farroupilha.

O primeiro campeonato jogado pelo único time feminino da Serra Gaúcha foi o Gauchão do ano passado. As mulheres rubro-verdes acabaram na competição entre as quatro melhores equipes, o que foi motivo de muita comemoração em Farroupilha. O time ganhou um lugar especial na história do clube, por serem as pioneiras, e um pôster, que fica exposto no glorioso Memorial do Brasil. Hoje o futebol feminino já é realidade dentro do clube, e além do time principal, o rubro-verde conta com categorias de base para meninas menores de 17 anos.

As Mulheres do Brasil fizeram um ótimo Gauchão este ano, (em 10 jogos = cinco vitórias, um empate, e quatro derrotas) perderam somente para as fortes equipes do Grêmio e Internacional. Por conta da campanha e da confiança das atletas, o objetivo do clube está muito perto de se tornar realidade. O Campeão do Interior deste ano não levará somente o troféu e o prêmio em dinheiro, garantirá uma vaga no Campeonato Brasileiro A2 2020.

Confesso que durante os jogos que eu acompanhei do Brasil, vi muita união entre as gurias. O assessor de imprensa, Adriano Padilha, afirmou que tudo está indo certo por conta dessa harmonia das Gurias. “Elas sempre estão juntas, se cobram quando algo não está certo e assim caminham unidas atrás do objetivo que é a conquista da vaga no Brasileiro”. Vi e vivo no meio do futebol há bastante tempo e vejo um diferencial no Brasil, o qual é a organização do clube.

Através da campanha do Gauchão do ano passado, foi possível fechar alguns patrocínios, mas ainda insuficientes para manter o Departamento Feminino, todos os integrantes são voluntários. Boa parte das atletas conciliam os estudos, trabalho e família com os treinos e jogos do Brasil. Infelizmente isso é a dura realidade do nosso futebol feminino.

O melhor jeito de terminar uma crônica do Serc Brasil de Farroupilha é com o depoimento da capitã e goleira do time, Gil Vigolo, que está no time desde a sua criação em 2017, no qual expressou seu amor ao clube

“O Brasil é a minha segunda casa. É onde treinamos, encontro as gurias, esqueço os problemas e somos felizes, porque amamos jogar bola”.

#MulheresdoBrasil #Oriente #SerraGaúcha #CampeonatoBrasileiroA2

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle