A saudade que Kaká deixou no futebol

Atualizado: 25 de Jul de 2020

“A minha palavra final é que chegou, o ciclo da minha carreira como jogador profissional se encerra aqui” foi com essas palavras que um dos maiores meias de campo da Seleção Brasileira se despediu dos gramados. Me refiro a Ricardo Izecson do Santos Leite, mais conhecido como Kaká.

Nascido em Brasília, logo mudou-se com a família para São Paulo. Cria das categorias de base do São Paulo FC, aos dezoito anos sofreu um acidente em uma piscina que quase o deixou paralitico - quase – pois pouco tempo depois, tivemos a honra de vê-lo estrear no time principal do SPFC. Entrando no segundo tempo e decidindo partidas importante, Kaká logo caiu nas graças da torcida e da imprensa. Em 2002, tendo apenas um ano como jogador profissional, foi convocado para a seleção brasileira. Era uma promessa do futebol brasileiro e não frustrou os que nele acreditaram.

Em 2003, é transferido para o time italiano Milan, recém campeão europeu. Em dois meses conquistou espaço cativo na equipe, tornando-se ídolo da torcida pouco tempo após sua chegada. Sem dúvidas, o protagonismo na conquista da Liga dos Campeões em 2006-07 foi determinante para alçar o topo do futebol mundial, sendo em 2007 eleito pela FIFA como Melhor Jogador do Mundo, desbancando Messi e Cristiano Ronaldo.


2009 marca sua chegada ao time espanhol Real Madrid, em uma transição milionária, sob grande expectativa e recepção calorosa da torcida. Infelizmente, sua passagem pelo time merengue foi conturbada devido as lesões enfrentadas pelo craque e o suposto mal relacionamento com o técnico Mourinho. Em 2013, retornou ao time no qual viveu sua melhor fase no futebol, o Milan, marcando seu centésimo gol com a camisa deste.

Em julho de 2014, assinou contrato com o time americano Orlando City, ressaltando a sua vontade em contribuir com a consolidação do esporte no país. Por conta da temporada da MLS só iniciar em março do ano seguinte, é emprestado ao São Paulo até o fim de 2014. Sob a desconfiança de uma parte da imprensa e a festa da torcida são paulina, Kaká volta aos campos que o revelaram e logo em sua reestreia, o camisa 8 deixa seu gol. O Morumbi aceita o retorno do seu filho de braços abertos e Kaká corre ao encontro da alegria que era estar novamente no seu time no coração.

Pela seleção brasileira, conquistou a Copa do Mundo de 2002 e participou das seleções dos anos de 2006 e 2010, sendo nesse último considerado a peça principal da equipe, assumindo a camisa 10. Também exibe os títulos de Campeão da Copa das Confederações em 2005 e 2009, além do Superclássico das Américas em 2014.

Em 15 de outubro de 2017, com muitas lágrimas, Kaká se despediu da torcida do Orlando City. O coração do torcedor são paulino se encheu de esperança para o retorno do grande ídolo, mas aquelas lágrimas significaram algo a mais. Era o último jogo de Kaká como jogador profissional.

Exatamente dez anos após a maior conquista individual de sua carreira, a coroação como melhor jogador do mundo, Kaká anunciou em rede nacional a sua aposentadoria. E a nós, só restou agradecer por todos os anos prestigiando um jogador que foi grande. Grandioso em sua gentileza em campo, em seu profissionalismo, em suas arrancadas, em seus gols, em seus feitos, em sua história. Se o nosso coração se enche de saudade, é porque de alguma maneira muito bonita, você soube toca-lo com o talento de seus pés. Obrigada Kaká.

0 comentário

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle