Brasileirão Feminino: como os clubes retornam à disputa na Série A1

Após cinco meses de paralisação, o Campeonato Brasileiro Feminino Série A1 retorna nesta quarta-feira (26), com a realização de três partidas. A oitava edição do Brasileirão é considerada o “torneio mais disputado de todos os tempos”, isto porque, nunca houve um número tão grande de equipes vindas do futebol masculino.


Daiane retorna às Guerreiras Grenás após quatro temporadas (foto: Jonatan Dutra/Ferroviária)

Mas quando a bola voltar a rolar, alguns times virão com novidades em campo. A atual campeã brasileira, a Ferroviária manteve a base que conquistou o bicampeonato no ano passado. Para a temporada, as Guerreiras Grenás trouxeram seis reforços e três atletas que disputavam as categorias de base foram integradas ao time profissional. Nesta pausa, as Guerreiras Grenás também anunciaram o retorno da lateral-direita Daiane. Capitã do tetra Paulista (2013), da Copa do Brasil e do Brasileirão (2014) e da Libertadores da América (2015), a jogadora foi anunciada no início do mês.


Continuando em solo paulista, a torcida do Timão pode comemorar o retorno da lateral-esquerda, Yasmin, que em 2017 e 2018 conquistou títulos importantes - como a Libertadores e também o Brasileirão. No reencontro com as Minas, Yasmin comentou que "chego muito motivada para trabalhar e conquistar novamente grandes títulos Quero seguir escrevendo uma história bonita neste clube que é gigante para a nossa modalidade", destacou a jogadora.


No Verdão, a torcida se despediu de Bia Zaneratto. A atacante que teve vínculo de empréstimo com o Palmeiras retornou à China no fim do mês passado. Para a defesa, o reforço é Janaína Queiroz. A zagueira que defendeu o Sporting de Braga nas últimas três temporadas, chega no alviverde com contrato até o fim de 2020. Já no setor ofensivo, Camilinha é a grande sensação. A meio-campista da Seleção Brasileira que retorna ao Brasil após quatro temporadas, também terá vínculo de empréstimo até o fim deste ano.


No Rio Grande do Sul, as Gurias Coloradas também vão ter cara nova em campo. Com passagens por clubes como Santos, Corinthians e Ferroviária, a atacante Rafa Travalão busca o título inédito das gaúchas na competição. Em entrevista a ssessoria do clube, Rafa destacou que "o grupo me recebeu muito bem, a estrutura realmente me impressionou, a organização da comissão, do staff que está por trás, estou muito feliz e espero poder estrear logo". As Coloradas ocupam a 8ª colocação do Brasileirão, e na reestreia da competição, terão um confronto com o Flamengo/Marinha - que está lutando contra o rebaixamento.


Na equipe carioca, as novidades vão além das quatro linhas. No comando técnico, Celso Silva terá a missão de alavancar a campanha do rubro-negro. Já no elenco, as novidades são as transições da zagueira Carol Pereira, da meia-atacante Maria Peck e da goleira Tainá - que foram integradas ao time profissional.


O sinal de alerta

Em meio a pandemia, muitos clubes não tiveram condições de se manter - mesmo com o auxílio disponibilizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). E muitos clubes, tiveram que abrir mão do elenco. Este é o caso do Iranduba de Manaus - que precisará encontrar uma solução para poder disputar os jogos da competição.


Desde a paralisação das partidas até está semana, 12 atletas deixaram o Hulk da Amazônia. Com os atrasos salariais e uma crise financeira, uma vaquinha virtual foi criada para auxiliar o time - com uma meta de R$ 900 mil, os recursos ainda não atingiram os R$ 5 mil, e o clube ainda vive uma incógnita na competição.


Além do investimento dos clubes, o Brasileirão também terá as suas partidas sendo transmitidas com a continuidade da parceria entre a CBF e a plataforma de streaming MyCujoo. Além disto, a TV Bandeirantes também fará a transmissão de algumas partidas. E nesta edição, o Brasileirão terá o patrocínio do Guaraná Antárctica.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle