• Bianca Lodi

Centro Olímpico: o berço do futebol feminino

Quando falamos de estrutura e treinamento para meninas que sonham em ser jogadoras de futebol é sempre difícil encontrar locais, campeonatos, agenda e opções para desenvolver essas atletas. Porém, nos últimos anos o Centro Olímpico vem sendo referência no berço da base para milhares de garotas do Brasil todo.


O Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), é um clube formador de atletas de alto rendimento, localizado em São Paulo. Além do futebol feminino tem outras 9 modalidades. Na prática, são selecionadas na peneira meninas de 8 a 15 anos para se desenvolverem e participarem das principais competições municipais, estaduais, nacionais e até internacionais de suas faixas etárias, sem nenhum custo para elas ou seus pais.


(foto: Bianca Lodi)

O futebol feminino do Centro Olímpico existe há 9 anos, mas passou por uma reformulação em 2010. Segundo informações do SEME, a metodologia implantada pela comissão técnica integra todas as categorias e vem se tornando referência no Brasil. Fato comprovado pelo alto número de convocações de jogadoras pela CBF. Desde o início do projeto, foram mais de 70 atletas diferentes convocadas a integrar a Seleção Brasileira adulta e de base.


Hoje muitas meninas que estão jogando em grandes clubes passaram pelo Centro Olímpico. Entre as jogadoras estão Marta, Cristiane, Érika, Maurine, Gabi Zanotti, Andressa Alves, Andreia Rosa, Debinha e Yaya. Além de ser reconhecido pelo desenvolvimento de grandes atletas, é referência em diversos títulos internacionais e histórias incríveis.


Atualmente, são quatro categorias, Sub 17, Sub 15, Sub 13 e Sub 11, que juntas oferecem treinamentos diários para mais de 100 atletas e que participam das principais competições existentes para o futebol feminino.


“Não somos uma escolinha de futebol, a menina passa por um processo de avaliação para fazer parte do Centro Olímpico. Ela pode entrar com 8 anos e passar pelas categorias de treinamento, como o sub 11, 13 e 15,” aponta Rodrigo Coelho, Auxiliar técnico Centro Olímpico.

“Elas saem do clube já inseridas na modalidade, hoje temos jogadoras que passaram por esse processo de formação no Centro Olímpico e hoje estão jogando no São Paulo, Palmeiras, Corinthians, Flamengo e Seleção Brasileira. Em relação a plano de carreira, todas as jogadoras entram aqui com esse sonho de um dia se tornarem jogadora de futebol e conseguimos ajudar elas aos poucos nesse processo com os treinamentos diários, academia, psicólogo e com uma formação completa com todo entorno que envolve”, Rodrigo Coelho, Auxiliar técnico Centro Olímpico.


Muitos clubes buscam jogadoras do Centro Olímpico para seus times. Um exemplo, é o São Paulo que tem uma parceria em que algumas jogadoras do sub 15 são selecionadas para disputar campeonatos pelo clube. Esse é um fator pelo qual meninas do Brasil inteiro optam por vir para capital Paulista para realizarem o sonho de ser jogadora.


Após Copa do Mundo Feminina, em 2019, aumentou o interesse de meninas que querem ser jogadoras de futebol e a busca pelo Centro Olímpico. “As peneiras antes tinham 60 meninas e no máximo 80. E pós copa a diferença foi gigantesca, tivemos na última peneira com 130 meninas. Foi uma procura exponencial e com isso tivemos que mudar o formato da peneira por conta disso. Quanto mais elas tiverem referências, mas teremos meninas buscando pelo futebol para querer ser uma Marta, Cristiane e Andressa Alves,” contou o técnico do sub 13, Leonardo.


Com um campo 100% delas, a estrutura do Centro Olímpico é totalmente voltada para o futebol feminino. Não possuem o futebol masculino. O foco é garantir um bom desenvolvimento para essas atletas futuramente e proporcionar um plano de carreira.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle