• Taísi Sorrini

Edina Alves: a primeira árbitra brasileira a apitar o Mundial de Clubes da Fifa

Na última segunda-feira (04), a Fifa comunicou publicamente que a brasileira Edina Alves Batista comandará o trio de arbitragem em um dos jogos do Mundial de Clubes, disputado no Catar, em fevereiro próximo


No início da semana passada, a paranaense de 40 anos, Edina Alves, foi comunicada pela entidade máxima do futebol que havia sido convocada para compor um dos trios de arbitragem que apitarão os jogos do Mundial de Clubes organizado pela Fifa. A árbitra, que atua profissionalmente dentro das quatro linhas há, mais ou menos, 20 anos recebeu a notícia com enorme entusiasmo. Segundo ela, a escalação é um sonho que se realiza depois de muita dedicação e trabalho dentro de campo.


Edina iniciou no esporte como jogadora de futsal, em uma pequenina cidade do Paraná. A jovem alternava a rotina diária entre o trabalho em um viveiro de plantas com a prática do futebol dentro das quadras. Até que se apaixonou pelo apito em um evento de profissionais amadores. E desde então, carrega consigo o título de árbitra de futebol.


A convocação de Edina e da assistente Neuza Back, também brasileira, marcam a história da categoria no Brasil. Ambas são as primeiras mulheres brasileiras a serem nomeadas pela Fifa para atuarem no campeonato mais glamoroso da organização (excluindo a Copa do Mundo). A nomeação de ambas, com certeza, representa um divisor de águas no setor, principalmente em um país onde o esporte, em especial o futebol, lida frequentemente com episódios de machismo, discriminações e assédios.


(foto: O Estado CE)

Edina integra o quadro de árbitras da Fifa desde 2016 e marcou presença na última Copa do Mundo Feminina realizada na França, em 2019, apitando a semifinal entre Inglaterra e Estados Unidos. A paranaense, ao longo da sua carreira no Brasil, apresenta impecáveis atuações nas partidas da Série A do Campeonato Brasileiro. Onde se tornou a primeira mulher a apitar uma partida desde 2005. Sua postura profissional, firme e técnica a levaram, então, à essa nova e merecida conquista.


A assistente, Neuza Back, faz parte do quadro de árbitras da Fifa desde 2014. A catarinense também atuou no Mundial Feminino da França e, mais recentemente, bandeirou o jogo entre Vélez Sarsfield e Peñarol, pela Copa Sul-Americana.


Edina e Neusa se juntam a assistente argentina Mariana de Almeida, dando continuidade a proposta da Fifa em dar visibilidade às árbitras mulheres. À exemplo, na Copa do Mundo masculina sub-17, em 2017, a suíça Esther Staubli apitou uma das partidas, dando sequência a uruguaia Claudia Umpierrez, que liderou dois jogos na mesma competição, em 2019 no Brasil.


Nas próximas semanas, a Fifa anunciará oficialmente as datas das partidas do Mundial de Clubes.


Os brasileiros Santos e Palmeiras, por meio da Libertadores, podem garantir vaga na competição mais almejada do mundo. Contudo, o Brasil já está muitíssimo bem escalado para embarcar ao Catar. Edina e Neusa representarão brilhantemente o país (e as mulheres) dentro das quatro linhas.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle