Euro 1976: a cavadinha de Panenka e o título inédito da Tchecoslováquia

Atualizado: Jul 24

Os estádios Belgrado e Zagreb foram os palcos escolhidos para receber os jogos da 5ª edição do Campeonato Europeu que foi realizada na Iuguslávia em 1976. A competição que teve início em 16 de junho, teve a Holanda como estreiante. Além dos holandeses, a Alemanha Ocidental, Tchecoslováquia e Iuguslávia também foram as semifinalistas.


A trajetória dos tchecos na competição iniciou no ano anterior. Após garantir vaga na fase classificatória, o adversário da semifinal seria diante da poderosa Holanda. Em um jogo disputado, a Tchecoslováquia fez a lição de "casa", e venceu os holandeses por 3 a 1. Com a vitória, os tchecos garantiram a classificação à final, onde iriam enfrentar as atuais campeãs, a Alemanha Ocidental.


Uma final emocionante

Para enfrentar os alemães, a Tchecoslováquia teve um desfalque: Pollák - que estava suspenso. Coube a Jan Svehlík, que atuava como ponta de lança e centroavante, a substituir Pollák.


O duelo pela taça foi do jeito que os torcedores gostam: com muita emoção e com a rede balançando nos primeiros 10 minutos de jogo. A Tchecoslováquia iniciou a vantagem com Svehlínk. O segundo gol foi marcado ainda no primeiro tempo, desta vez com Dobias. A vantagem poderia ter aumentado co Masný, que acabou acertando a trave.


Mas engana-se quem pensa que os alemães não iriam buscar a reação. Dieter Müller descontou com um belo voleio. A vantagem dos tchecos durou até os minutos finais do 2º tempo. Depois da Alemanha ter garantido um escanteio que foi cobrado por Bonhaf, Holzenbein subiu mais alto e desviou: Tchecoslováquia 2 x 2 Alemanha Ocidental.


Exaustos fisicamente, as duas equipes tiveram poucas oportunidades de balançar as redes na prorrogação. Com isso, o campeão da Eurocopa de 1976. Nas primeiras três cobranças, os goleiros não tiveram chance de defender. Masný, Nehoda e Ondrus que converteram a favor dos tchecos. Para os alemães, Bonhof, Flohe e Bongartz também balançaram as redes.


Na quarta cobrança, o zagueiro Jurkemik também colocou os tchecos na vantagem. Já Uli Hoeness, acabou acertando o travessão do goleiro Viktor - e deixou os alemães na desvantagem.


De um lado, o goleiro experiente Sepp Maier. Do outro, Antonín Panenka. Estava nos pés do meio-atacante, a chance da Tchecoslováquia conquistar o título inédito na competição. Na cobrança, uma cavadinha histórica (a primeira registrada no futebol europeu) e uma taça na galeria da seleção.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle