Euro 2012: uma goleada para coroar o tricampeonato da Espanha

Atualizado: Fev 7

Campeã da Eurocopa de 2008, a Espanha fez história ao vencer pela primeira vez a Copa do Mundo de 2010. Com isso, os espanhóis chegaram com força máxima na 14ª edição da maior competição europeia envolvendo seleções.


A fórmula de disputa continuou a mesma, porém, o campeão da Euro de 2012, garantia vaga na Copa das Confederações do ano seguinte, que foi disputada no Brasil. A Euro reuniu 16 seleções, e foi realizada na Polônia e Ucrânia.


Na primeira fase, os espanhóis encerraram na liderança do grupo I com 24 pontos, mantendo uma invencibilidade de 100%. Na fase de grupos da competição, o time comandado por Vicente Del Bosque enfrentou a Itália, Croácia e a Irlanda. Com a vaga garantida às quartas de final, a Fúria Espanhola teve como adversário os franceses.


O duelo diante da França não valia apenas uma vaga à semifinal. Os espanhóis também enfrentariam um tabu: nunca venceram os franceses nas competições mais importantes do futebol. Mas o confronto entre as duas seleções não seria fácil. Embora a Espanha viesse com força máxima, a França tinha jogadores experientes como Ribery, Giroud e Bezema.


Mas quando a bola rola, não existe favoritismo. A Espanha abriu o placar aos 19 minutos do 1º tempo com Xabi Alonso, o placar foi ampliado novamente aos 46 do 2º tempo, novamente com Xabi - que converteu um pênalti. Com a vitória por 2 a 0 e o término do jejum, a Roja enfrentaria Portugal de Cristiano Ronaldo - que estava em busca do seu título inédito na competição.


Casillas defende a cobrança de João Moutinho na disputa por pênaltis

Com a partida diante de Portugal foi realizada em Donetsk na Ucrânia. Em campo, os olhos estavam voltados a dois personagens importantes: Cristiano Ronaldo e Fernando Torres. Mas apenas um atacante teria a oportunidade de comemorar a classificação à final. No primeiro tempo, o grande destaque foi pela tática portuguesa, que tirou os espanhóis da sua zona de conforto e com uma forte marcação, neutralizou as jogadas de ataque.


Com o equilíbrio em campo, a primeira oportunidade de gol surgiu aos 29 minutos, quando Iniesta se livrou da marcação e arriscou o chute. Aos 31 minutos, foi a vez de Cristiano Ronaldo - em um chute rasteiro, a bola passou à esquerda de Casillas. Os 45 minutos finais da partida, também foi marcado com poucas chances de gol. Com o empate sem gols, o primeiro finalista foi decidido nos pênaltis. Nos pênaltis, Xabi Alonso e Coentrão desperdiçaram as suas cobranças. Pelo lado espanhol, Iniesta, Piqué, Sergio Ramos e Fábregas converteram as suas penalidades. Já João parou nas mãos de Casillas, e Bruno Alves errou, e mesmo com Pepe e Nani acertando, os portugueses foram eliminados. Portugal 0 (2) x 0 (4) Espanha.


A grande final da Eurocopa de 2012 foi entre Espanha x Itália, as duas seleções já haviam se enfrentado na primeira fase (onde empataram em 1 a 1). Mas desta vez, o reencontro seria diferente, pois valeria a taça. Além do desafio de enfrentar os espanhóis, os italianos queriam quebrar o jejum, o último título conquistado foi em 1968.


Com o estádio de Kiev pintado de vermelho e azul, a decisão não foi como era esperada pelos italianos. Embora a Itália seja uma das seleções mais tradicionais do futebol mundial, a Espanha estava em ascensão e em campo, isso ficou nítido. Enquanto a Espanha buscava o seu gol nos minutos iniciais, a Azzura e encontrava acuada. O primeiro gol da partida foi marcado aos 13 minutos, com David Silva, que em um lindo cabeceio, estufou as redes de Buffon. O placar voltou a ser ampliado aos 39 minutos, desta vez, com Jordi Alba.


Espanha venceu Itália por 4 a 0 e conquistou o tricampeonato

No 2º tempo, os italianos tentaram se encontrar em campo, onde criaram oportunidades de gol, mas nenhuma levou perigo a meta defendida por Casillas. A Espanha também desacelerou e passou a administrar o placar. Aos 38 minutos, Fernando Torres aproveitou um cruzamento de Xavi e marcou o terceiro gol dos espanhóis. O placar de 3 a 0 parecia estar definido, mas aos 42, Torres recebeu a bola livre na grande área, cara a cara com Buffon, El Niño escorou para Juan Mata, que em um toquinho mandou para o fundo das redes e decretar o título espanhol.


Com o placar de 4 a 0, a Espanha confirmou novamente a sua soberania no futebol mundial. Além do tricampeonato, a Roja também garantiu a sua vaga na Copa das Confederações, que foi realizada no Brasil em 2013.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle