• Stephany Locatelli

Igor Gomes: o presente tricolor

Atualizado: Jul 24

Igor teve interrupções na ascensão de sua carreira, mas nada que colocasse um ponto final nela. Hoje, um dos principais jogadores do São Paulo, encanta a torcida com muita qualidade e vontade.


O ano de 2019 do São Paulo não começou nada bem. Primeiro a eliminação precoce na Libertadores assombrou o início da temporada. No Paulista a situação também não estava agradável, o time não se encontrava em campo, os sistemas não conversavam e isso resultava em atuações ruins por parte dos jogadores e consequentemente a torcida se manifestava nas arquibancadas. Entretanto, apesar dos pesares, a classificação para a fase mata-mata do estadual veio e foi no primeiro jogo das quartas de final que Igor Gomes apareceu.


É muito raro eu admirar tanto um garoto que não seja da base do meu time, mas o que Igor Gomes fez naquele 24 de março me chamou a atenção e eu passei a vê-lo com olhos mais críticos, disposta a enaltecer o talento que o jovem garoto de 20 anos tinha com os pés. O primeiro gol daquela partida saiu aos 32 minutos do tempo inicial. Dos pés de Igor numa batida de primeira a torcida tricolor soltou o grito e o jovem comemorou, não apenas por colocar o São Paulo em vantagem no placar, mas porque foi o seu primeiro gol como profissional. O segundo gol veio no tempo complementar, não tão bonito como o primeiro, mas o suficiente para ampliar o marcador. Igor novamente, dessa vez no rebote dado por Pegorari na finalização de Everton Felipe.


O brilho do garoto de Cotia se fez presente naquele domingo e a realização, creio eu, de um sonho para ele com dois gols, extremamente decisivos, em seu primeiro jogo como titular no Morumbi. Um sonho realizado depois de problemas enfrentados durante a adolescência que quase custaram seu futuro no mundo da bola. No início da carreira, o camisa 26 do São Paulo sofreu com o desenvolvimento tardio que contribuiu para uma lesão na coluna vertebral que colocou uma vírgula em sua ascensão nas categorias de base do time tricolor, entre 2014 e 2015. O nome da lesão era espondilose L5 e o tratamento durou aproximadamente dois meses e meio e Igor retornou aos gramados pelo sub-16.


O jovem não desistiu e continuou treinando até conquistar seu espaço novamente e chegar ao profissional no início desse ano. Os dois gols contra o Ituano no jogo de ida do Paulistão contribuíram bastante para a classificação do time no segundo jogo. Na semifinal o São Paulo pegou o Palmeiras que também foi eliminado com boas atuações do meio campista. E o time que até então passava por perrengues para se firmar na temporada alcançou o triunfo ao chegar à final do campeonato onde enfrentou o Corinthians. Entretanto, não deu para o time de Igor, o Corinthians se sagrou campeão e o São Paulo ficou com o vice.


Com o início do Campeonato Brasileiro, o São Paulo voltou a apresentar inconsistências no futebol. Sempre que começava a dar esperanças ao torcedor novamente, no jogo seguinte tropeçava e passava pelos caos por um período. Até se recompor e mais uma vez tropeçar. Igor Gomes que se tornara titular na reta final do Paulistão perdeu espaço quando Cuca chegou ao comando do time paulista. O que na visão não só minha, mas creio que de muitos torcedores tricolores foi um grande erro por parte do treinador. Primeiro porque não havia nenhuma explicação plausível para isso e segundo que Igor agregava de maneira contundente a equipe. Com o afastamento, Igor foi treinar com a seleção brasileira, em setembro, quando Tite chamou jovens promessas para dar novas experiências.


Quando voltou, Igor encontrou um cenário diferente. O treinador da vez era Fernando Diniz e para o bem do São Paulo, o garoto passou a ser cotado para os jogos novamente. Igor Gomes conquistou a torcida são paulina com sua leveza em campo, o jovem garoto pareceu lidar muito bem com a pressão que o time enfrentava naquele momento, constante em seus jogos, com técnica, tática, uma visão de jogo muito boa, qualidade no passe, velocidade nas transições e na chegada à área. Diniz, com sua proposta de jogo ofensivo e com muitas trocas de passes, fez com que Igor retomasse seu lugar no time e ele foi um dos principais destaques dos jogos do tricolor.


É fato que todo o planejamento do time foi por água abaixo logo no início da temporada com a eliminação na pré-libertadores, os impactos que causaram dentro e fora de campo fez com que 2019 fosse assombroso para o torcedor são paulino que, por fim, almejou apenas uma vaga direta na Libertadores para o próximo ano e conseguiu. Todavia, a pouca alegria que o ano trouxe para os tricolores são considerados o futuro do time. Meninos talentosos como o próprio Igor Gomes.


Igor tem personalidade, não dá para negar. E para jogadores que não tem medo de mostrar quem são e para o que vieram, o futebol guarda muitas surpresas. O camisa 26 ainda tem muito a trilhar tanto com a camisa tricolor, quanto com qualquer outra que vier a vestir futuramente e nesse ritmo, ouso dizer até que precisará reservar um espaço no guarda-roupa para a amarelinha. Igor foi o presente nesse ano turbulento que o tricolor vivenciou.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle