• Éllen Gerber

O pequeno grande N'Golo Kanté

N'Golo Kanté nasceu em 29 de março de 1991 em Paris, seus pais eram imigrantes do Mali. Em Paris, buscavam melhores condições de vida para Kanté e seus quatro irmãos mais novos. Como irmão mais velho e precisando ajudar na renda de sua humilde família, o menino N'Golo recolhia lixo para destinar à reciclagem aos sete anos de idade.


Aos 11 anos, o francês iniciou a sua carreira no futebol amador e nesta época, precisou enfrentar a triste perda de seu pai. Por ser sempre o menor de sua categoria, foi alvo de diversos olhares de reprovação e algumas oportunidades foram negadas. Por ter baixíssimas chances de se tornar um jogador profissional, Kanté se formou em contabilidade, mas não abandonou o velho sonho e continuou se dedicando ao esporte.


A ascensão

Peça de destaque nos times em que jogava, Kanté saiu do Suresnes para o Boulogne, e do Boulogne para o Caen - onde contribuiu para o retorno do time à primeira divisão da França.


Mas foi em 2015, que a carreira do francês sofreu uma reviravolta. Cerca de 9 milhões de euros levaram o menino tímido do subúrbio de Paris ao Leicester City (onde conquistou a Premier League 2015 / 16). E na temporada seguinte, 36 milhões de euros ao Chelsea (onde foi campeão da Premier League 2016 / 17, Copa da Inglaterra 2017 / 18 e Liga Europa da UEFA 2018 / 19).


foto: Getty Images

Estreou oficialmente na seleção francesa em 2016, onde disputou a Eurocopa e conquistou o vice-campeonato. A primeira Copa do Mundo foi disputada na Rússia, em 2018.


Quanto às conquistas individuais, N'Golo carrega os títulos de: 16º Melhor Jogador de 2016 (The Guardian); 45º Melhor Jogador de 2016 (Marca); Futebolista Inglês do Ano da PFA: 2016–17; Futebolista Inglês do Ano da FWA: 2016–17; Jogador Francês do Ano: 2017, 2018 é Jogador do Ano do Chelsea: 2017–18.

Desarmando os obstáculos da vida

N'Golo Kanté não só desarma tão bem as jogadas adversárias como desarmou todos os obstáculos que apareceram em seu árduo caminho para chegar onde está hoje. O jogador extremamente discreto fora de campo e que não gosta de estar nos holofotes da mídia exibindo riquezas, inevitavelmente atrai olhares de encanto em suas jogadas minimalistas e bem realizadas dentro de campo.


Exemplo de superação e persistência, o craque que ajudou a limpar as ruas da cidade quando a França se consagrou campeã da Copa do Mundo FIFA pela primeira vez em 1998, em 2018 levou o país à realização do sonho do bicampeonato.

1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Seja nosso parceiro!

E-mail: futebolporelas@hotmail.com

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle