• Bárbara Merotto

Pode isso Arnaldo?

Atualizado: Fev 27

A figura do árbitro de futebol surgiu em meados do século XIX, porém sua autoridade só passou a ser reconhecida na década de 1890. Antes dele se tornar o excelentíssimo senhor da ordem em campo, as desavenças futebolísticas eram resolvidas por meio de um acordo de cavalheiros entre os próprios jogadores, ou seja, era tudo resolvido no grito! No Brasil, um dos primeiros árbitros a assumir essa função, foi o próprio Charles Miller com a chegada do “foot-ball” no país.


Nós torcedores e torcedoras, sabemos da relação de amor e ódio causada pelo futebol, seja ela com nosso time de coração, com os jogadores e até mesmo com a arbitragem. Quem nunca se pegou agradecendo ao juiz por um pênalti duvidoso a favor do seu time e cinco minutos depois, já está xingando até a mãe desse mesmo árbitro por um lance a favor do time adversário? Ao longo da história do futebol, muitos lances de arbitragem polêmicos e controversos ainda pairam sobre os gramados, e que mesmo após muitos anos, não serão jamais esquecidos, porque torcedor que é torcedor, não esquece jamais!


Santos x Portuguesa 1973: um campeonato, dois campeões

A final do Campeonato Paulista entraria para a história em 1973. O poderoso elenco do Santos que contava com Pelé, Clodoaldo e Carlos Alberto Torres enfrentaria a Portuguesa do volante Badeco e Enéas, o segundo maior artilheiro da história da Lusa. Mesmo com tantos craques em campo, o personagem que mais se destacou nesta partida foi o árbitro Armando Marques. A partida que terminou empatada em zero a zero no tempo regulamentar se encaminhou para a cobrança de penalidades. E foi aí que começou a confusão. O time da Portuguesa errou as três primeiras cobranças, enquanto o Peixe marcou duas vezes. Sendo assim, a Lusa ainda poderia empatar, caso o Santos perdesse as cobranças seguintes e a equipa lusitana as convertesse. Porém, o árbitro se confundiu e deu a partida por encerrada, quando a Portuguesa ainda tinha a chance, embora pequena, de empatar a série. No dia seguinte, a Federação Paulista de Futebol não teve outra solução, a não ser declarar as duas equipes campeãs. O Santos teve que aceitar o fato, pois a Portuguesa ameaçava anular a final.


Atlético Mineiro x Flamengo 1981: choveu cartão

Uma das partidas mais polêmicas da história do futebol nacional, protagonizada pelas duas equipes, segue na memória de atleticanos e flamenguistas. A partida de desempate que culminou na eliminação do Galo, ocorreu na primeira fase da Libertadores de 1981. O jogo teve que ser “encerrado” de maneira precoce, pois o árbitro José Roberto Wright expulsou cinco jogadores atleticanos. Cinco!!!


O clima do jogo já era tenso desde o começo. Empurrões, cartões amarelos e discussões entre os jogadores e a arbitragem, deixavam a partida cada vez mais tensa. Até que aos 32’ do primeiro tempo, após um carrinho em Zico, Reinaldo leva o primeiro dos cinco cartões vermelhos que viriam a seguir para os jogadores atleticanos. A partida continua com o clima tenso e após um esbarrão em José Roberto Wrigth (Sim! O arbitro!) em uma cobrança de falta, Éder também é expulso. Revoltados, a diretoria e o banco de reservas do time mineiro invadem o campo, e no meio de uma confusão generalizada, mais dois jogadores do Galo são expulsos, Palinha e Chicão. A polícia precisa intervir e também entra em campo. Inacreditavelmente o jogo recomeça, e minutos depois, João Leite, goleiro atleticano também é expulso. E em meio aos xingamentos dos torcedores do Galo, o jogo é encerrado garantindo a classificação do time carioca.


Corinthians x Internacional 2005: é pênalti?!

Corinthians e Inter disputavam, jogo a jogo o título do Brasileirão 2005. O campeonato foi marcado pelo maior escândalo da arbitragem brasileira, onde onze jogos haviam sido anulados por terem sofrido manipulação de seus resultados – “Máfia do Apito”. Os colorados se sentiam prejudicados pela decisão do tribunal pois entre os jogos anulados, dois deles eram derrotas do Corinthians, e entraram em campo no Pacaembu para tentar recuperar força na tabela.


O time paulista saiu na frente comum gol de Tevez, mas já no início do segundo tempo Rafael Sóbis empata para o Inter. Aos 28’ da etapa final da partida o time colorado viu a chance de virar o jogo. Após receber um grande passe de Sóbis, Tinga dribla o goleiro Fábio Costa dentro da área, mas é interrompido pela sola da chuteira do guarda-rede corinthiano. Porém, árbitro Márcio Rezende de Freitas, que fazia seu último jogo da carreira, não viu pênalti no lance, e ainda expulsou o atleta do Internacional , que já tinha um cartão amarelo no jogo, sob alegação de simulação. O Corinthians acabou campeão brasileiro naquele ano.


Assim é o nosso amado futebol: uma mistura de aclamação, reclamação e emoção. E segue o jogo!

Posts recentes

Ver tudo