• Helena Barbosa Geraldes

São Paulo reconquista a confiança após vencer clássico

Há pouco mais de um mês, o torcedor são-paulino estava em um misto dos sentimentos de raiva e revolta, depois do São Paulo perder, de maneira vergonhosa, para o Mirassol por 3 a 2, dentro de casa, no Estádio do Morumbi, em partida válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista. Com esse fatídico resultado, a pressão em cima do time e do técnico Fernando Diniz ficaram enorme, além de uma enorme desconfiança.


Derrota amarga e vexatória do tricolor | Foto: Instagram Mirassol

A torcida estava muito animada com a possibilidade do Tricolor conquistar o Paulistão, principalmente pelo fato de possuir jogadores com grande nome e capacidade técnica, no entanto tudo foi por água abaixo. Alguns jogadores foram extremamente criticados pela péssima atuação e pela apatia durante a partida: casos de Alexandre Pato e Juanfran. Nem mesmo Daniel Alves saiu ileso: o alto salário do jogador e o fraco desempenho nas quartas, foram motivos de cobrança por parte dos torcedores. O treinador Fernando Diniz também não escapou das críticas. Grande parte da torcida pediu sua demissão, mas a diretoria, com incertezas, o bancou.



Início do Brasileirão

Durante duas semanas sem jogos, o Tricolor do Morumbi se instalou no CFA de Cotia e fez sua preparação para o Campeonato Brasileiro. A primeira partida da competição estava marcada para o dia 9 de agosto, todavia o time adversário, o Goiás, teve dez jogadores que contraíram a COVID-19. O clube esmeraldino pediu o adiamento da partida e o STJD acatou o pedido. Com isso, o São Paulo somente iniciaria no Brasileirão no meio de semana, contra o Fortaleza, comandado pelo maior ídolo do clube do Morumbi, Rogério Ceni. Mesmo em uma partida pouco criativa, o Clube da Fé conquistou os três pontos com um gol de Daniel Alves.


A próxima partida seria contra o Vasco, no Rio de Janeiro. O time são paulino era melhor no primeiro tempo, contudo em uma tarde inspiradíssima, o atacante vascaíno Germán Cano marcou dois gols e definiu a vitória para o Gigante da Colina. Na chegada do aeroporto em São Paulo, a polícia teve que conter os ânimos acalorados dos torcedores que protestavam contra a equipe e o técnico Fernando Diniz.


Após essa derrota, algumas coisas mudaram: Alexandre Pato rescindiu o contrato com o Tricolor e o meia Everton foi contratado pelo Grêmio, que em troca cedeu o atacante Luciano. Ambas decisões causaram um impacto na torcida, que ficou dividida em relação às saídas e troca.


Gol de empate marcado por Luciano | Foto: Reprodução Instagram Luciano

Já na mesma semana, Luciano estreou no segundo tempo na partida contra o Bahia, válida pela 4ª rodada do Brasileirão, e marcou um gol de cabeça que garantiu o empate. O resultado não agradou muito os jogadores e a torcida, em especial, mas motivou para os próximos jogos. O São Paulo engatilhou uma boa sequência de vitórias: ganhou do Sport, fora de casa, derrotou o Athlético Paranaense, em partida adiantada da 11ª rodada devido à Libertadores, ambos os placares por 1 a 0.




Vitória sobre o Corinthians

E neste último domingo (30), a terceira vitória consecutiva veio, num clássico contra o maior rival, o Corinthians. A equipe que entrou em campo, estava bastante modificada: o miolo de zaga era formada por dois garotos, Léo e Diego; na lateral-direita, Igor Vinícius desbancou o experiente Juanfran; já do lado esquerdo, Liziero entrou no lugar do suspenso Reinaldo; no meio-campo, Hernanes voltou ao time titular no lugar de Daniel Alves, que se recupera de uma cirurgia no braço e Gabriel Sara entrou no lugar de Igor Gomes; no ataque Paulinho substituiu Vitor Bueno, machucado.


Brenner, eufórico, comemora gol no final | Foto: Instagram São Paulo FC

O São Paulo começou melhor o clássico, pressionou constantemente a saída de bola do Timão e logo aos quinze minutos, após falta do jogador corintiano Léo Natel em Hernanes, o próprio Profeta foi para a cobrança e bateu na bola como poucos sabem, e marcou um golaço de falta em cima de Cássio, que foi surpreendido pela curva da bola. 1 a 0 Tricolor. Aos 35 minutos, em um belo lançamento de Cantillo, Ramiro recebeu a bola nas costas de Liziero e finalizou nas redes defendidas por Tiago Volpi, que estava mal posicionado no lance. 1 a 1 o jogo.


O segundo tempo foi um pouco parado, devido ao desgaste físico dos atletas. Mas a cereja do bolo estava por vir. Diniz, técnico do Time do Morumbi, mexeu na equipe e colocou os jovens atacantes Brenner e Toró, nos lugares de Paulinho e Luciano, respectivamente, para dar mais mobilidade e velocidade para o tricolor. A princípio, as substituições não surtiram muito efeito, mas nos acréscimos, os dois meninos que entraram, decidiram o Majestoso. Em um cruzamento da linha de fundo de Toró, Brenner subiu de cabeça e balançou as redes. Placar final: 2 a 1 São Paulo.


De olho na Libertadores

Os "coringas do Diniz" precisavam de uma vitória assim para reconquistar a confiança da torcida. Até o final desta rodada (sexta rodada), o São Paulo está na vice-liderança do Brasileirão, atrás apenas do Internacional, de Porto Alegre. Literalmente, o Tricolor foi do inferno ao céu em um mês. No meio de setembro, a Libertadores reiniciará e o clube precisa estar preparado, pois está em um grupo bastante difícil que conta com a equipe argentina do River Plate, quatro vezes campeão do torneio, e com a LDU, campeã em 2008.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle