• Éllen Gerber

Serginho Chulapa: do brilho às polêmicas

Com histórico de campeão tão marcante quanto sua personalidade extremamente forte, hoje relembramos um grande ídolo e lenda de duas torcidas paulistas. Sergio Bernardino, mais conhecido como Serginho Chulapa, nascido em 23 de dezembro de 1953 em São Paulo, dispensado dos juvenis da Portuguesa, participou de uma peneira e teve a oportunidade de ingressar nos juvenis do Tricolor paulista.

Pelo tricolor paulista

foto: divulgação

O atacante Serginho estreou no time principal em jogo contra o Bahia em 06 de junho de 1973, aos 19 anos, e marcou o seu primeiro gol vestindo a camisa do São Paulo contra o rival Corinthians, quatro dias após a sua estreia. Na instituição, conquistou o Campeonato Paulista de 1975, 1980 e 1981 e o Campeonato Brasileiro de 1977. Disputou 399 partidas pelo clube e sagrou-se o maior artilheiro do São Paulo até os dias atuais, com 242 gols. Sua última partida pelo clube aconteceu no dia 12 de dezembro de 1982.

Transferências e passagens pelo Peixe

Em 1983, fez sua primeira passagem pelo Santos. Neste ano, foi artilheiro do Campeonato Paulista e Série A (ambos com 22 gols). No ano seguinte, conquistou o estadual. Em 1985 o jogador foi vendido ao Corinthians onde teve uma rápida passagem. Em 1986 voltou ao Santos, mas se deparou com as grandes rivais de todos os atletas: as lesões. Então, Serginho é transferido para o Marítimo de Portugal, e retornou ao Santos em 1988 mas foi novamente transferido para um time da Turquia. Já em 1990, defendeu clubes como a Portuguesa Santista, São Caetano e Atlético Sorocaba onde se aposentou em 1993 antes de completar 40 anos. Com todas as passagens, fica entre os quatro artilheiros do clube, após Pelé com seus 104 gols pelo Alvinegro da Vila.

Representando a Seleção Brasileira

Representou a seleção verde-amarela 20 vezes de 1979 até 1982 e disputou cinco partidas onde pode marcar dois gols na Copa do Mundo FIFA de 1982. Em 1990, vestiu a amarelinha novamente pela Copa do Mundo de Masters e marcou na final contra a Holanda.

Trabalho fora das 4 linhas

No ano de 1994, Serginho voltou ao futebol para trabalhar fora das quatro linhas. Desde então, assumiu cargos no Santos, União São João, Portuguesa Santista, São Caetano, Sãocarlense, Remo e Araçatuba.

Uma marca registrada

Contudo, além do brilho, dos muitos gols que marcaram a história dos gigantes paulistas, a carreira de Serginho Chulapa também ficou marcada por polêmicas e episódios de agressão por parte do atleta. O craque foi muitas vezes protagonista de confusões nos gramados e até fora deles, quando atuou no comando dos clubes. Algumas dessas situações foram tão severas que custaram caro à estrela, como por exemplo, a sua ausência na Copa do Mundo por precisar cumprir suspensão e outros acontecimentos que até hoje deixam a entender nas entrelinhas que foi motivo para que o atleta perdesse boas oportunidades até mesmo quando já havia se aposentado dos gramados.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo