• Andressa Eloisa

Troca-troca de técnicos marca o fim do primeiro turno do Brasileirão

Que essa pandemia deixou o mundo de futebol de cabeça para baixo, isso todos nós já sabemos. A pausa que os campeonatos sofreram, geraram expectativas de retorno nos jogadores, técnicos e ainda mais nos torcedores. Talvez essa grande expectativa seja a causa do alto número de substituições dos treinadores em 2020.


Só na serie A do Brasileirão já trocaram de técnico o Atlético Mineiro, Atlético Goianiense, Athetico Paranaense, Botafogo, Ceará, Coritiba, Corinthians, Flamengo, Sport, Santos, Red Bull Bragantino e Palmeiras. Alguns times chegaram a ficar várias rodadas sem técnico definido, sendo comandados pelos auxiliares técnicos, enquanto o clube negociava com o treinador.


A pergunta que fica: qual o melhor momento para trocar o comando de um time? O Campeonato Brasileiro encerrou o seu primeiro turno com mais de vinte substituições, incluindo grandes referências como Vanderlei Luxemburgo.


A rotatividade não é exclusiva para os times da serie A; o Cruzeiro, por exemplo, teve quatro treinadores somente no primeiro turno do campeonato na Série B; agora segue com Luiz Felipe Scolari, no comando do elenco.


Será que nossos técnicos tiveram tempo hábil para trabalhar com seus elencos pós pandemia? Talvez esse troca-troca de técnicos revele outros problemas dos clubes brasileiros: falta de planejamento; falta de gestão; critérios claros na contratação e objetivos apresentados a jogadores e torcedores; o imediatismo na busca de resultados.

Seguimos aguardando os próximos jogos e o desempenho de nossos grandes times em campo.

Receba as novidades

do Futebol Por Elas

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle