• Stephany Locatelli

Zinédine Zidane: a cara do título merengue

Zidane chegou ao Real Madrid como técnico em 2016 e conquistou três Champions consecutivas, dois mundiais de clubes da FIFA, duas Supercopas da UEFA, um campeonato espanhol e uma Supercopa da Espanha. Depois de três temporadas fantásticas a frente do time merengue resolveu sair, mas em 2019 (depois de 9 meses) retornou a equipe para mais uma vez resgatar o futebol do time de Madrid. E conseguiu! Nessa passagem o treinador já soma dois títulos: Supercopa da Espanha e La Liga (conquistada nessa semana). Ao todo são 209 jogos e 11 títulos conquistados.


Reprodução Instagram Real Madrid

A conquista do trigésimo quarto título espanhol teve muitas caras: Courtois fechando o gol, Sérgio Ramos indescritível tanto na defesa quanto no ataque, Casemiro pela regularidade, Benzema decisivo pelos seus 21 gols e 8 assistências (até o momento)... Mas, o principal nome dessa conquista estava ali, presente fora das quatro linhas, no banco, auxiliando a equipe.


Para quem acompanhou o período em que Julen Lopetegui e Santiago Solari comandaram a equipe notaram a diferença rapidamente. Um time bem longe do que foi nas mãos do Zizou: desmotivado e sem vontade. Os resultados não vinham e quando vinham não era da maneira que o torcedor esperava. Foram dias sombrios que só tiveram fim quando Zidane voltou. Fica mais do que evidente a importância que tem o treinador para a equipe merengue.


O Campeonato Espanhol, antes da pausa por conta da pandemia, estava sendo liderado pelo Barcelona com dois pontos de vantagem sobre o segundo colocado: Real Madrid. Mas, na volta a equipe comandada pelo francês fez um final de temporada avassalador: foram 10 vitórias em 10 jogos. O título espanhol desta temporada foi um respiro aliviado visto que em 10 anos o clube só havia conquistado duas vezes a competição contra sete conquistas do Barcelona e uma do Atlético de Madrid.


O trabalho do treinador se mostra em campo não apenas pelo futebol apresentado, mas pela união do time. Tivemos vários exemplos de como o vestiário se mantem unido, e um deles aconteceu justamente no jogo do título contra o Villarreal quando Sérgio Ramos se mostrou um verdadeiro capitão ao ceder a cobrança de pênalti para Benzema buscar a artilharia da competição. Sérgio Ramos, inclusive, falou sobre o treinador após a conquista do Espanhol ao canal Movistar.


“É o capitão do barco. Depositou confiança nos jogadores. Acreditamos e seu trabalho, tudo que ele coloca a mão é sagrado”.

E sim, Zidane sempre exalta seus jogadores, dá a eles todos os méritos e talvez esse seja o seu segredo. São pequenos detalhes, talvez que nem sejam notados, mas que estão ali.


O Real Madrid, graças a Zidane, sagrou-se campeão espanhol nesta temporada. A equipe voltou a entender exatamente o que quer, não se perde mais em campo, não perdem o foco. O Real Madrid recuperou a vontade de vencer, os jogadores de excelente nível resgataram o futebol e o torcedor teve de volta o seu time vencedor.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo